20.1.09

Ronaldolândia

Cristiano Ronaldo é o melhor do mundo. A FIFA e France Football também acham isso. Ele também e aguarda que surja o prémio do melhor do Universo, porque chegados aí e comprado um planeta para a família, também ninguém o vai parar.
Tendo em conta estes factos, a RTP achou por bem falar com o rapaz de perto e mandar a sua Judite a casa dele, lixando desta forma os Contemporâneos, já que a Grande Entrevista é esta semana a referência de humor na RTP.

Cristiano preparou a entrevista, com muito treino específico, especialmente em termos de insistência no verbo “frisar”, que ele aplicou para cima de 20 vezes. Os grandes jogadores são assim, escolhem um verbo/palavra e tornam única a sua utilização. Veja-se o Figo e aquilo que tem feito por palavras como seguramente e naturalmente. Judite também treinou para a entrevista – entrevistando crianças durante duas semanas. Só isso explica o tom maternalista e a entoação infanto juvenil que deu às perguntas. Levou muito à letra o facto do forte do Ronaldo ser a velocidade e o drible e não tanto o jogo de cabeça.

Falemos do terreno de jogo – Numa das bancadas, os prémios, na outra, as fotos de família, criando a envolvência perfeita. Só faltou a lareirinha e umas espetadas de atum. Ângulos apertados para não nos dispersarmos dos protagonistas em campo. Ronaldo traja elegantemente, mas esquece-se dos ensinamentos da Nike. Se não queres que te vejam marcas de suor na camisa, o melhor é usares equipamentos Dry-Fit.

Momentos Chave da partida

“esgar” e “esgador” – Ronaldo refere constantemente estas actividades. Consta que têm a ver com futebol, mas também podem a ver com aulas de expressão facial em campo.

“A minha família é o meu suporte” – Quando o curso do Wall Street Institute interfere na vida de um jogador, a tua mãe rapidamente se pode tornar um centro de mesa.

“É verdade que quando chegou a Manchester, os seus colegas lhe ofereceram um carrinho-miniatura da Ferrari?” – (Ronaldo vê aí uma possível entrada dura sobre o seu acidente de carro) “Muita coisa que se publica sobre mim não é verdade” – Judite mostra qualidades técnicas, mas atrasa para o guarda redes, para o miúdo não ficar à rasca.

“Quando olho para o espelho, gosto daquilo que vejo” – Ronaldo não especifica se se trata do espelho no tecto do quarto.

“Tem que ser uma entreajuda entre todos” – Há muito que sabemos que a entreajuda individual tende a não resultar e o CR não é diferente.

“Sei quanto dinheiro tenho e sei que a carreira de futebolista não dura para sempre. Por isso tenho de fazer o melhor para depois conseguir levar uma vida razoável” – O banco mostra sinais de preocupação. Ou Ronaldo mostra sinais preocupantes de humildade ou há perturbações ao nível do uso da palavra razoável.

Sobre assobios nos jogos em casa e apoio à equipa – “Nós excitamos os adeptos, os adeptos também têm de excitar os jogadores". Em Inglaterra e arredores, mais de 500 adeptas sentem-se ofendidas e mandam SMS a Ronaldo relembrando algumas jogadas.

No final do encontro, a multidão sai satisfeita. O artista deu espectáculo e em casa sempre faz menos frio do que nas bancadas.

11 comentários:

  1. Ainda não vi a entrevista, mas como tenho gravada no MEO e já abriste o apetite, vamos ver se não passa de hoje..:)

    ResponderEliminar
  2. Eu gosto do "ê pense que..."
    dá um certo ar sulista e insular ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar
  3. Bela análise, excelente post!
    Quinje a jero para o Mak!!!

    ResponderEliminar
  4. Apenas vi o anúncio da entrevista, mas por esta descrição já deu para entender que foi, no minímo, hilariante!
    É engraçado constatar que vivemos agora entre uma Ronaldolândia e uma Obamalândia... Como este país é pequeno.

    ResponderEliminar
  5. A judite deseja o Ronaldo; a Judite não via nada à frente; a Judite até deixou a Ronalda escrever o guião da entrevista. A mulher estava parva ou tinha emborcado uma garrafa de poncha inteirinha antes de começar a entrevista. E deviam dizer ao rapaz que o excesso de gel dá ar um ar oleoso e que não conheço ninguém que tenha visto aquilo até ao fim.

    ResponderEliminar
  6. A inveja é uma coisa muito feia...coitado do puto. já fez mais por Portugal do que o Manuel Pinho...

    ResponderEliminar
  7. Eh pá, não sejam assim...
    E, tenham lá calma, que se querem ouvir falar bem português, alguém com um aspecto impecável e com qualidades oratórias, já têm amanhã na Grande Entrevista o Dr. Paulo Portas pela centésima vez! Pronto, isto foi só um susto! ;)

    Maryana

    ResponderEliminar
  8. Este rapaz prima pela inteligência absurda! É só ouvi-lo falar!

    ResponderEliminar
  9. E foi assim, numa passagem de avião para a Judite, que a televisão publica decidiu gastar o dinheiro dos contribuintes.

    ResponderEliminar
  10. Genial!

    Esqueceram-se de falar nas maçanetas da mansão que têm as iniciais C e R.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.