29.12.08

Natalidade em queda

Se querem saber porque é que cada vez nascem menos crianças em Portugal, podemos já ficar por aqui – tal deve-se porventura ao facto de cada vez mais gente passar mais tempo a ler blogs inúteis em vez de andar a assegurar a sobrevivência da raça lusitana.

Se querem saber coisas que estiveram em baixa neste Natal, então sim, devem aliviar-se um pouco do enfardamento de fritos a que se submeteram e seguir com alguma atenção as próximas linhas

- SMS’s natalícios – Abençoada preguiça/crise dos artistas do costume. Em vez de receber 50 mensagens plenas de falta de criatividade ou então 2 sms criativas, repetidas 50 vezes por arrastão ou até mesmo votos cravados a martelo de um qualquer site inspiracional de 5a categoria, a colheita deste ano foi fraca. E fraco, nesse capítulo é sinónimo de paz e alegria para os meus lados.
- Crises estomacais – O meu estômago que, ao exemplo de um qualquer casapiano, tem sofrido alguns abusos, portou-se este ano como um campeão. Nem mesmo o cheiro ao bálsamo de urina, certamente prenda de Natal, que um idoso ostentava hoje pela manhã no bus o fez vacilar.
- Música no Coração – Posso ter estado desatento, mas entre filmes bíblicos de bradar aos céus e programação tipo farinheira, não vi passar por aí este clássico intemporal que manieta o imaginário de crianças dos 4 aos 400.
- Postais e calendários pintados com o pé, com a orelha, com o lábio superior, a axila ou até com a covinha no queixo. Dá-me ideia de que esses pobres artistas perceberam finalmente que mandar calendários de borla e esperar receber um donativo de volta, em Portugal é estar a pedi-las.

Dado estar a ponderar um jejum de fim de ano para contra-balançar, é possível que na minha meditação me ocorra mais qualquer coisa. Entretanto vou ali continuar a inventar desculpas para evitar passagens de ano foleiras e já volto.

Blink 182, Miss You

5 comentários:

  1. Lamento desiludir-te, meu caro Mak, mas o Música no coração passou mesmo na TV. E eu sei isto porquê? Porque tive a feliz ideia de comentar isso algures durante um almoço em casa e o meu irmão quebrou-me a satisfação dizendo que ia passar sim senhor. E passou, já não sei é se foi no típico dia 25 (acho que foi a 26).

    Ainda assim notei que o moço que instituíram ter nascido no dia 25, nasceu menos vezes na TV do que é costume. Mesmo os desenhos animados não pareciam estar para aí inclinados.

    ResponderEliminar
  2. Andaste distraído...

    A Música no Coração deu sim senhor... assim como o Natal dos Hospitais, O Sequim d'Ouro, o Circo de Monte Carlo e todas esses clássicos da boa programação natalícia!

    Mas deixa lá.... vês para o ano!
    Beijinhos,

    ... e se tiveres aí uma desculpa fixe para evitar Reveillons da Treta, diz-me... estou a precisar!!!

    ResponderEliminar
  3. É com algumas lágrimas nos olhos que constato essa minha falha. E eu que pensava que tinha caído mais um mito...

    ResponderEliminar
  4. Fico contente por me teres dito que a tua quantidade de sms's recebidos foi fraca. É que a minha foi absolutamente rídícula e eu já estava com uma crise de auto-estima (lá está, a "crise").

    Eu, pela parte que me toca, não enviei nenhuma, pela primeira vez em muitos anos. E também consegui despachar todos os presentes até 5 de Dezembro, coisa rara! Tenho de reflectir sobre isto tudo...

    ResponderEliminar
  5. Mesmo com o Música no Coração a passar na RTP (pela 2008ª vez não?), achei que o Natal deste ano foi mesmo muito xoxo (isto escreve-se assim ou com ch?).
    Deve ser da crise!!! Ela é a culpada de tudo...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.