9.12.08

Granda Paio Natal


Muitas vezes as pessoas perguntam-me - "Com tanto tempo para escrever parvoíce, tu vives de quê?". Obviamente, é um tipo de pergunta a que me dá um especial gozo responder mentindo das mais diversas formas, mas nesta época tão especial, onde toda a gente anda ávida por gastar dinheiro, há que ser moderadamente honesto.

Eu vivo de esquemas, mais precisamente daqueles que os meus talentos escondidos me possibilitam. Um deles é a capacidade de convencer pessoas de que são parvas, não parvas por si (embora isso também seja viável), mas parvas quando se lhes apresentam oportunidades em que podem sair a ganhar (e eu também) e não o fazem.

Por isso, jovens damas que visitam este poiso e cavalheiros cujo gosto para oferecer prendas a senhoras é, no mínimo, duvidoso, ponham os olhos no passatempo que podem consultar na PeanutOak e vejam como com um mínimo de criatividade podem brilhar no Natal, fora do registo habitual do abuso de Vinho do Porto.

Os prémios são estes aqui ao lado e não tenham ideias de que as peças são feitas por mim. Para o meu gabarito, só produzo objectos para a Colecção Berardo. Mas podem crer, tenho sempre alguma coisa a ganhar.

6 comentários:

  1. Gosto de ver gente com atitude, tal como gosto de ver aqueles apanhados em que há gente que bate com partes sensíveis do corpo em superfícies obstinadamente imóveis...

    ResponderEliminar
  2. Sendo assim, sugiro-te este link Mak...
    ;-)

    ResponderEliminar
  3. é por estas e por outras q me chamam grava-por-cima...

    Faltou o link:

    http://www.youtube.com/watch?v=1Dma7W1NdCg

    ResponderEliminar
  4. Seguindo o princípio de - quem não chora, não mama... Esta senhora deve ter passado a infância tipo carpideira...

    Perturbante.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.