2.10.08

10 Minutos de 27

Depois de algum tempo em que o meu périplo pelo bus 27 se viu algo reduzido, eis que hoje regressei ao alegre convívio nos transportes públicos. E, como sempre, bastam 10 minutos para aprender coisas que duram uma eternidade.

- Apesar do advento dos gratuitos, a chamada leitura por detrás da orelha ou do ombro continua a ser um must. Sejam livros, jornais ou talões de compras, o voyeurismo tem sempre lugar (obrigadinho Teresa Guilherme).

- Se os telemóveis causam cancro/tumores ainda não está confirmado. Que causam irritação em quem tem que gramar toda uma panóplia de toques merdofonicamente reais e idosos que usam o telemóvel como megafone, disso já não há dúvida.

- O ipod/mp3 já faz parte do ritual matinal da maioria dos utentes de transportes públicos. Incluindo os que não usam, visto que entre gente que conseguia ficar surdo em menos de cinco anos e aqueles que fazem do karaoke e do lipsynching um hobbie é impossível não entrar no ritmo.

- Em tempo outonal mas de calor, o número de gajos que usa óculos de sol por causa do mesmo é inferior ao número de gajos que usa óculos de sol por causa de decotes.

- Os idosos vêem melhor dentro dos autocarros. Isso prova-se pelo facto de descobrir um lugar do outro lado do bus, mesmo que ele esteja cheio e também pelo facto de conseguirem descortinar um símbolo para a 3a idade nos lugares reservados, enquanto tipos como eu só conseguem descortinar grávidas, deficientes e acompanhantes de crianças de colo.

- É raro ver alguém sorrir de manhã. Dado a elevada percentagem de má higiene oral, é um favor que me fazem.


Haveria muito mais para dizer mas, infelizmente, só pus moeda para 10 minutos.

Steely Dan, Peg

7 comentários:

  1. Fizeste-me recordar os tempos de faculdade, em que os transportes públicos eram o quotidiano...

    Saudades...

    Dos tempos de faculdade, claro! que dos transportes públicos nem por isso..

    ResponderEliminar
  2. Que falha enorme!
    Então e os bracinhos levantados que, esforçosamente, seguram as pegajosas pegas para evitar o trambolhão e, devido ao esforço com alguma falta de higiene (ou, nos dias que correm, dinheiro) à mistura, nos assolam com aquele odor a que muitos chamam cebola, sendo que pessoalmente, lhe chamaria antes um enorme refogado?

    ResponderEliminar
  3. Esse refogado é, de facto, um prato do dia. No entanto, a minha altura permite-me em boa parte dos casos, estar um pouco acima desse cenário...

    ResponderEliminar
  4. Compra um Smart e deixas de escrever sobre transportes públicos...

    ResponderEliminar
  5. Esqueceste-te dos utentes que "esquecem-se" do Rexona em casa e têm o descaramento de levantar os braços como se nada tivesse acontecido...

    Abençoada Linha de Cascais e abençoado 12 que não tenho de levar com esses filmes!

    Se bem que o recordista de acontecimentos na Linha da Carris é o 58.

    ResponderEliminar
  6. @ sff - Se morasses a 20 mins a pé do trabalho, que se convertem em 10 de transportes, verias que smart é não vir de carro...

    @ pepper - Quem conheceu o percurso do 42 como eu, sabe que não há outro campeão em Lx...

    ResponderEliminar
  7. Pois. Eu como vivo a 4 minutos do emprego mas a 25m de transportes e a pé, acho smart da minha parte ir de smart...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.