8.9.08

Press Kit, vem me buscar


Escrevo isto antes de ver o resultado da votação, mas sabendo que ao exemplo de boa parte dos iogurtes no frigorífico do meu local de trabalho, estou fora de prazo. No entanto, sei que as estatísticas não me eram favoráveis e duvido que no fim de semana tenham mudado, até porque não tive oportunidade de pôr os meus PR skills (termos anglófonos não é apenas coisa de economista) em acção.

A verdade é que, ironia da vida, passei o meu fim de semana a trabalhar, em assessoria de imprensa é certo. O que prova que não sou acessor em organismos públicos e afins, áreas em que tirando em crises, inaugurações ou festas de algum calibre, é raro ver um espécime da minha raça em trabalho.

O meu trabalho, basicamente, passa por convencer jornalistas que a minha empresa é realmente importante para o trabalho deles, coisa que também tento subliminarmente implantar na vossa cabeça (tentando fazer deste blog uma necessidade diária). O que se torna difícil, visto que há mais de 50 mil jovens a tentar fazer o mesmo e poucos meios para contactar.
Mas, não se pense que bater papo com jornalistas é a única coisa que faço. Também tenho um blog a gerir é certo e há outras tarefas, como por exemplo uma coisa que se chama “comunicação interna”.

Trabalhando num departamento de comunicação, a parte da assessoria é a mais pomposa e, como tal, a que eu vos tentei impingir. Depois há que lidar com a gente que cumprimentamos com sorrisos falsos no nosso dia-à-dia. E, numa empresa de alguma dimensão, é muito Pepsodent que se gasta. É preciso manter esta malta motivada, a pensar que há alguém lá em cima que se preocupa com eles (e não, não trabalho para o Vaticano) e fazê-los perceber o que é que realmente se faz nesta empresa.
É importante saber que a boazona que toma café às 10.38 também é a responsável pelos Recursos Humanos ou que o narigudo que usa chumaços não deve ser alvo de piadas, nem que seja por ser o tipo que nos transfere o salário ao fim do mês. E, acima de tudo é preciso que saibam que o tipo de cabelo encaracolado é bom rapaz e vale a pena pagar-lhe uns almoços de quando em vez. Isto para não falar que é possível que muita gente não saiba o que efectivamente faz esta empresa.

O que é algo que acontece frequentemente nesta sociedade, a malta não sabe o que faz, nem desconfia. E é isso que eu vou ver, mal consulte esta votação...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.