10.9.08

Claques do Além


É certo e sabido que, até agora, os clubes de futebol já eram, em grande parte, cemitérios: cemitérios financeiros, cemitérios de expectativas ou até cemitérios de credibilidade.

Mas, a partir de hoje, na Alemanha, mais precisamente em Hamburgo vai ser possível fazer algo que só os doentes do Boca Juniores na Argentina podiam fazer – não só morrer pelo clube, como também ser enterrado pelo clube.
É certo que em Inglaterra já é possível ser cremado e ter as cinzas espalhadas no relvado do seu clube de sempre, onde se viveram grandes momentos, se marcaram grandes golos e, ocasionalmente, os maiores craques deram uma cuspidela. Mas visto que isso é proibido na Alemanha, este é sem dúvida um passo em frente.

Ser enterrado com as cores do clube, ouvindo o hino do clube, a pouca distância do estádio não é loucura, é um bom negócio, já que com o dinheiro que isso implica, os clubes garantem que, até depois de mortos, os seus adeptos continuam a pagar quotas.

É caso para pensar - quando chegará a moda a Portugal? Os célebres 6 milhões de adeptos certamente teriam muito gosto em dar o corpo, ainda que morto, ao manifesto...



PS - Em relação à votação que decorreu, está a ser ultimado um balanço final.

2 comentários:

  1. Cemitário na Luz? Não há espaço.


    AR

    www.antonioraminhos.blogspot.com

    ResponderEliminar
  2. No Name Boys20/09/08, 14:16

    O desrespeito pelas convicções e motivações dos outros também é uma forma de ignorância.
    O sentimento de afecto por uma determinada instituição desportiva não pode ser encarado como algo negativo ou alvo de comentários trocistas ou jucosos.
    Se não consegue perceber o fenómeno não se pronuncie sobre ele. As suas palavras deixariam melindrado qualquer adepto do futebol, não brinque ou teça considerações sobre uma matéria que para muitos de nós é uma fé e uma religião.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.