29.8.08

Itália-Nepal, conflito de garfo e faca

De modo a não ter que suportar algumas companhias indigestas, tenho por hábito procurar restaurantes exóticos para despistar os fieis dos bitoques e febras, sempre que tal é possível.
Nesta vasta procura gastronómica tenho sido alvo de algumas surpresas agradáveis e ocasionais digestões desagradáveis, sempre de espírito (e boca) aberta. No entanto, confesso que me intriga um conceito de restaurante fácil de encontrar em Lisboa, o Italo-indiano ou Italo-nepalês, consoante a zona da pinta na testa da cozinheira.

Quando ouvi falar deles pela primeira vez, fiquei maravilhado. Cozinha de fusão ao mais alto nível pensei eu, Chamuças estilo calzone, Pizza de caril, onion bahji com fusili, madras de mozzarella ou bebinca estilo tiramisu foram logo pratos que me ocorreram. Da primeira vez que lá entrei, a desilusão – menus separados, nem uma experiência de aproximação e nem sequer um mix decorativo, tirando o bigode à mafioso do empregado indiano.

Foi aí que pensei, mas porquê esta junção? A Itália e o Nepal são tão vizinhos como Portugal e o Iraque e eu ainda não vi por cá Cozido à Saddam. O Nepal não tem qualquer história de ocupação italiana e o facto do Marco Polo ter estado na China não significa que tenha ido lanchar ao Nepal e deixado por lá umas receitas.

A resposta tornou-se então óbvia – o italo indiano serve para que os fieis do bitoque e das febras me possam seguir até lá, essencilamente porque uma pizza ou um esparguete à bolonhesa são o limite dos seus desvarios alimentares. E a malta dos Himalaias tem assim uma opção barata para não perder clientes. O que é tudo muito bonito, tirando para mim, que gosto de cada macaco no seu galho ou no seu prato, se preferirem.

Por isso, amiguinhos do Ghandhi que gostam de piscar o olho ao Eros Ramazotti, fica aqui o meu aviso – já tolerei a história da gastronomia italiana, não vou perdoar a inclusão de bitoques no menu.

Fusion Sounds – Panjabi MC, Mundian to Bach Ke (Knight Rider Remix)

3 comentários:

  1. Ainda ontem olhei para o toldo desse restaurante e confesso que fiquei curiosa. Qualquer dia encho-me de coragem e vou experimentar a chamuças de mangericão ou as pizzas de caril...

    ResponderEliminar
  2. Bolas.. que susto apanhei eu com esta música! Tinha o som ligado ao máximo, apenas. ;)

    ResponderEliminar
  3. Gostei do mood, coincide com o tema oriental-ocidental

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.