13.5.08

Deus é informático


Diz-se que o Senhor criou o Mundo (e a Amadora) em seis dias, tendo descansado ao sétimo. Ora, apesar de omnisciente, certamente que Deus gostava de fazer os seus downloads, quiçá ver alguns videos da Beyoncé no Youtube e, como tal, nada melhor que uma tarde livre para isso.

Serve o prelúdio bíblico para falar de algo que reforça esta visão Deus-Informática: o facto de em muitas empresas/instituições (e não me refiro às de saúde mental) haver(em) informático(s) que age(m) como se fosse(m) Deus.O seu conhecimento técnico e a importância que os meios informáticos têm no dia-a-dia de uma empresa conferiu-lhes um tal estatuto que sem uma alimentação saudável e excesso de horas em frente ao monitor pode conduzir ao delírio.

O comum mortal é tratado com desprezo/condescendência quando obrigado a solicitar os seus serviços já que a máquina (computador em português normal) não reage sequer a insultos para voltar ao normal. Além disso, enunciam sempre um ror de tarefas cruciais para o destino da empresa, talvez da Humanidade que os vão ocupar nos próximos três dias e que só depois disso (com sorte) vão ter tempo para tratar de nós. Muitas vezes, quando confrontados com o facto de estarem a ler o “Record”, respondem através da linguagem encriptada, descodificável apenas com password de administrador.

Emails, tal como as tábuas de Moisés, chegam a nós com PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER CUMPRIDOS PARA A SEGURANÇA (os informáticos pensam que a letra grande facilita a compreensão do sentido da vida) e vêem no servidor um filho que vão sacrificar para redenção da humanidade, tal é o fervor com que o defendem e a tristeza com que documentam o seu sofrimento. O demo é visto atrás de cada email com anexos, de cada aplicação não validada, de cada ficheiro importado de outro computador. Cada utilizador é feito à imagem do seu programador, mas nunca alcançando a perfeição do mesmo.

Vendo bem, só há por norma numa empresa/instituição outra pessoa com tais responsabilidades e trabalho hercúleo, nada mais nada menos que o responsável financeiro, que ama cada nota como seu filho e sobre o qual se poderia escrever também uma bíblia.

Infelizmente, para muitos deles, a carreira como pianista de hotel em destino paradisíaco é um sonho que há muito ficou para trás.

Som divino – The Coasters, Down in Mexico

5 comentários:

  1. Só um aparte, as criaturas usam o Record para encobrir a última FHM...

    ResponderEliminar
  2. WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

    ResponderEliminar
  3. só nos resta rezar a Santa Tecla...

    ResponderEliminar
  4. tens tanta razão neste que no que me toca a mim podes fazer como os ingleses e criar a tua própria religião. a cada email com caps lock apetece mesmo responder com um EU NÃO SOU SURDO.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.