30.1.08

Não mexe, não respira, encha os bolsos de dinheiro, já está

Ando deprimido. Depois de anos e anos a acreditar que trabalhar era um mal necessário para conseguir ter uns cobres sem ter que pôr uma meia na cabeça ao entrar em bombas de gasolina, o meu universo desabou.
Ao que parece, ao invés devia ter apostado em fazer carreira na ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos), onde pagam mesmo quando a pessoa não trabalha. Segundo esta história, o pobre Jorge Vasconcelos, farto de ganhar 18 mil euros/mês para administrar aquele estaminé e se ter recusado a apoiar uma puxada de electricidade para tentar iluminar as mentes estagnadas do Parlamento, bateu com a porta e demitiu-se.
Ora, pelo que fui dado a saber, nas empresas normais o máximo que um tipo que faça isso ganha é um jantar de despedida (cada um paga o seu) e mais tempo livre para pesquisar sobre a anatomia humana no Porntube. Mas não, a ERSE preocupa-se e, não vá o pobre Jorge passar por dificuldades, garante a todos os membros da administração dois terços do ordenando, num período máximo de dois anos, até arranjarem emprego.
A situação ameaça ficar incomportável para este senhor, que depois de se despedir por vontade própria, ainda é obrigado a não arranjar emprego ou pagam-lhe doze mil euros todos os meses durante dois anos. O que é que uma pessoa pode fazer com tanto tempo livre e apenas doze mil euros….Enfim é brincar com a vida dos outros, mais propriamente de todos os que não trabalham na ERSE.
O mais triste de isto tudo não é o lodo em que empresas estatais e derivadas e políticos chafurdam em alegre convivência, sobre a qual só devemos saber 10% da história. É o facto de eu dever ter estado a dormir quando foram publicadas as vagas de emprego para a administração da ERSE e assim ter de continuar a espalhar a sabedoria em vão.

Música bem empregue - Sam Cooke - Wonderful world

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.