22.1.08

Flori-bolas

Apesar da piada fácil no título, um clássico do qual sou adepto, não quero começar pela questão que mais salta à vista. Aí iria entrar num longo debate sobre silicone, auto-estima e a resolução de problemas pelo ângulo mais fácil.
Sempre manifestei algum asco em relação à a Floribella e, não sendo isso segredo, também sempre achei que a sua intérprete tinha menos consistência mental que a árvore com que regularmente confidenciava. Mas, isso não justifica o espanto com que vejo, através das revistas para encher chouriços, a mutação que a dita vai sofrendo.
Assim à primeira vista, parece-me uma cópia do Processo Cristina Aguilera, em que esta passou de menina de coro para menina de coiro e a coisa lhe correu bastante bem em termos de sucesso. Mas, a questão é que o mercado americano/internacional é outro e o “estudo” (sim, porque isto não acontece por acaso) desta evolução de “menina querida” para “gaja boa e provocante” nos casos da Aguilera ou da Nelly Furtado (que se agora adaptar o seu êxito para “Come-me à força” ninguém estranha) tem certamente outro cuidado, que o da jovem Luciana não deve ter.
Vejo aquele louro platinado, aqueles trapinhos modernos a realçar o investimento em silicone, mas também continuo a ver aquela cara de moça desorientada que precisa ainda de acordar para a vida, mesmo que já o tenha feito em intenção.
Ter sucesso não passa apenas por ter dinheiro, projecção e um visual para condizer. Como gajo altamente bem sucedido e credível, sei que é preciso ter cabeça para se saber o que fazer e como fazê-lo. No caso da pobre Floribella, não há implantes que resolvam esse problema, pelo menos para já.
E, como ainda tem algum crédito junto da populaça, acredito que ainda se possa vir a safar, se tiver alguém por perto com dois dedos de cabeça. Caso contrário, ainda nos arriscamos a ver uma digna sucessora da Ana Malhoa, na passagem de amiguinha das crianças para o site próprio com fotos no duche e outros apontamentos de rameirice extrema.

Som das massas - Nada surf - Popular

10 comentários:

  1. E como diz alguém que eu conheço, se dantes se dizia "teve mais olhos que barriga" neste caso é mais: "Tem mais peito que cabeça..."...;)

    ResponderEliminar
  2. Eu acho que o Mikael Carreira pode ser essa pessoa com 2 dedos de testa...quando começar a perceber a onda dá-lhe porrada e fecha-a em casa. Mai nada!

    ResponderEliminar
  3. Pensando bem, o "insuflamento" gera uns trocadilhos engraçados...Floriboobs, ou Lucimama Abreu ...Ms, ok, segundo ela, ficou "muito natural"

    ResponderEliminar
  4. E Beatles? Ninguém gosta de Beatles?

    ResponderEliminar
  5. Gostava de ver um filho gerado por ela e pelo Nuno Gomes.

    ResponderEliminar
  6. Vi uns breves instantes de uma entrevista da Luciana com o Alvim, na sic Radical(after the boob job) mas ela trazia umas botas altas prateadas à Dartacão que me fizerem esquecer tudo o resto. Nem sei se falou... Como o penteado do Alvim estava seboso como sempre fiquei entediada e mudei de canal.

    ResponderEliminar
  7. Eu adorava vê-la com o Cristiano Ronaldo. Isso é que era um casalinho à séria. :-D

    ResponderEliminar
  8. eu gostava era de ver o Mak a tomar café com a florita... aquele sotaque à puerto e a conversa extremamente inteligente da moça, com certeza que seria um encontro interessante...lolllll :P

    ResponderEliminar
  9. Zé Pitroil23/01/08, 22:06

    Tu éj é um pandeleiro ó tu! Num bês ké uma gaija TODA BOA?

    ResponderEliminar
  10. @ Cuga - Aceito apostas sobre o número de vezes que o Alvim lava a cabeça por ano.

    @ Sónia - Masoquismo não é um dos meus hobbies e sou um dos 5 portugueses que não bebe café...

    @ zé pitroil - não confundir ter critério com bichanice meu caro...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.