17.12.07

10 Aleluias para sobreviver ao Natal

Pode parecer obsessivo, mas para qualquer lado que eu olhe parece-me que vejo o espírito de Natal a olhar para mim nas suas 10 mil manifestações. Como eu não aprecio olaria nem me chamo Demi Moore e acho que ele não se chama Patrick Swayze, pode dizer-se que não há assim grande amor entre nós.
Mas, sendo obrigado a conviver e a lidar com isso mais uma semana, data em que o espírito de Natal cede o seu lugar ao não menos enjoativo frenesim de Ano Novo, tomei a liberdade não de providenciar Ferrero Rocher, mas sim de debitar umas linhas para quem também tenha de fechar os olhos e rezar para que isto passé depressa:

1 – Faça as compras de Natal com headphones. O facto de perder alguns momentos de sentido convívio com lojistas e um ou outro familiar que o insista em acompanhar não vale aquilo que poupa à sua audição em termos de medleys de Natal duvidosos e a habitual selecção musical criteriosa das lojas modernas de roupa.

2 – Não se sinta tentado pela caridade. Com a chusma de organizações, peditórios, desgraçados, sem-abrigo, com-abrigo mas à rasca, gente doente, gente que parece estar doente, refugiados e artistas de ocasião que lhe vão aparecer pela frente, há fortes possibilidades de no fim de ajudar metade desta gente seja a sua vez de começar a pedir ajuda.

3 – Use a contra-informação para lançar o caos entre os seus entes queridos e dar algum gozo à quadra. Fingir que se sabe a prenda que alguém vai receber, dar opiniões sobre o que alguém pensa dar e semear a dúvida nas mentes de quem está mais adiantado do que você nas compras de Natal não vai resolver os seus problemas, mas faz com que não se sinta tão sozinho nos mesmos.

4 – Em caso de dúvida, compre uma coisa que a pessoa já tenha. Não se esforce, poupe as suas energies e compre algo que tenha a certeza que a outra pessoa já tenha. Assim, em vez de oferecer uma merda qualquer, dá à oportunidade de ser a outra pessoa a ter o trabalho de ir procurar aquilo que quer quando for trocar a sua prenda.

5 – Vá às compras sozinho. Tudo bem que vai ter que suportar a sua própria companhia sem ajuda, mas também não tem de triplicar o tempo que anda às voltas porque os seus amigos têm 200 sobrinhos para apaziguar ou ter que ver olhares reprovadores quando troca os preços das canecas no Continente para oferecer à sua avó.

6 – Seja racional, não deseje Feliz Natal na loja dos chineses. Eles só o celebram em termos de facturação, porque de resto a época não lhe diz nada e além disso a poupa a irritação de cidadãos que, como eu, pretendem escolher calmamente a prenda para a mãe.

7 – Tente limitar o volume de compras para não pôr em causa a integridade física das pessoas com quem se cruza. Pense bem na sua figura, quando tenta carregar 48 prendas ao mesmo tempo, incluindo a árvore de Natal prateada que achou o máximo para ficar ao pé dos seus cães de loiça na sala. Não só parece um repositor de hipermercado, como pode causar fracturas expostas e escoriações graves naqueles com quem se cruza, mas os quais não vê e apenas ouve devido aos gritos de dor.

8 – Não fale das tormentas que já passou para comprar a prenda para o seu xipitipu ou a sua xipitipinha. Todos sofremos à nossa maneira, não precisamos de agonizar também com a sua história.

9 – Não se gabe do dinheiro que gasta no Natal. Ninguém o vai valorizar mais por isso e apenas vai aumentar o gozo dos restantes quando lhe vierem arrestar os bens em Fevereiro, devido aos dez créditos mal parados que coleccionou nos últimos anos.

10 – Escapatória de leste. Caso não suporte mesmo fazer compras no Natal, diga que é católico ortodoxo e ganhe mais 20 dias para fazer as compras pós buliço, já que esta malta celebra o seu Natal sensivelmente a meio de Janeiro. Para além de ser uma boa desculpa, ainda lhe permite avaliar bem o valor das prendas que recebeu e agir em conformidade.

Quem é mais melhor bom que o Pai Natal quem é?

Para lutar com o stress das compras - Paul Anka - Eye of the tiger

4 comentários:

  1. Essa dos phones é genial...

    ResponderEliminar
  2. Mais uma...

    Se desesperadamente for ao chinês! Peça factura nem que seja só por ter comprado Post It's de 0,85 €.

    Ehehehehehh

    ResponderEliminar
  3. tenho ideia de que vou difundir o conselhor 4 pela minha lista...;)

    ResponderEliminar
  4. Eu não li este post porque sou daquelas que ainda continua de olhos fechados a rezar para que a cena passe...:-)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.