10.10.07

Fast-Living

Sempre dado a filosofias baratas e a palavras caras, quando dei por mim noutro dia já teorizava sobre o facto do ritmo de vida ser cada vez mais rápido e da maneira como isso se reflectia nos ciclos de vida de tudo aquilo que nos rodeia. Atentemos ao quadro seguinte (sempre quis dizer isto perante uma plateia atenta num qualquer auditório. Não sendo possível, dois gajos com pouco que fazer num blog também serverm).

Aqui há uns anos, eis algumas coisas que era suposto durarem uma vida inteira, salvo imprevistos:

Casamento
Emprego
Carro
Clube
Electrodomésticos diversos


Coisas que hoje em dia têm mais hipóteses de durar uma vida inteira

Empréstimo da casa
Clube



Poderia argumentar-se: “Ah, os tempos são outros. Há mais escolha, mais liberdade, mais de tudo para todos”. É um facto inegável, mas parece-me que tanta facilidade veio baralhar algumas mentes e olhem que se há gajo adepto da mudança sou eu.
O facto de nada ser garantido transforma muitas vezes a liberdade de escolha em insegurança na mesma e, às tantas, liberdade de escolha, ausência de critério e desorientação total andam de mãos dadas. No entanto, é curioso que as coisas que agora são para a vida (empréstimo e clube) são, na sua generalidade, fontes de sofrimento pré-satisfação em que pouco depende só de nós. Tudo bem, ter uma casa dá alegria e ver o clube que se gosta a ganhar (para quem liga a isso é claro) dá gozo, mas pelo meio há muita unha roída e caminho penoso. Já dizia o zarolho, “mudam-se os tempos, mudam-se as vontades”, mas não me lembro de a seguir vir “de 10 em 10 minutos”, até porque não é por um tipo ter só um olho a funcionar que precisa de ter vistas curtas.
Se eu fosse sábio e profético diria: é possível mudar e experimentar muitas vezes ao longo da vida sem ser necessariamente inconstante. É sempre uma questão de critério e ausência de alucinogéneos. Mas, como sou algo rudimentar, a minha falta de fé na espécie humana não me deixa ter resposta na matéria. Prefiro esperar para ver, isto se não mudar de ideias entretanto.

Por agora ouve-se: David Bowie - Changes

9 comentários:

  1. Antonio variacoes - muda de vida

    se mudar de casa, mudar de namorada, mudar de carro, mudar de mulher(nao se podem mudar de filhos e nem se perde um belo derby benf - sportg), mudar de pais, mudar de opiniao, nos faz ficar mais calmos ou satisfeitos connosco, devemos fazer, afinal, nunca se muda pra pior.
    eu apoio mudancas pensadas(no amor) e que melhorem a qualidade de vida ou que tendam para a poupanca sempre!

    ResponderEliminar
  2. "This is major Tom to ground control":
    Se o que queres é poupar Mak não te cases nem ames: É uma fonte de consumo de energia!

    ResponderEliminar
  3. Eu ia dizer o mesmo que o anónimo disse!

    Mas enfim!

    Gostei do post OBVIAMENTE!

    ResponderEliminar
  4. ana luiz - gostas-te do post? (ee um bocado, o que toda a gente pensa)

    anonima

    ResponderEliminar
  5. Este post não é para mim. Eu cá defendo com unhas e dentes, já há bastante tempo, o movimento SLOW, slow-food, slow-motion, slow-work.

    Bommmm.....fimmmmm.....dee....se....ma...na.....

    ResponderEliminar
  6. ahahaha

    gostei da perspectiva!


    Novos gatos, outros assuntos, novo formato, maior qualidade. Visitem:

    http://sevenblackcats.blogspot.com

    Sejam bem-vindos

    ResponderEliminar
  7. tou feita ao bife

    a L

    ResponderEliminar
  8. firme e hirta!

    ResponderEliminar
  9. eh pá, esqueceste-te dos impostos. Até parece que esse não duram para sempre...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.