18.9.07

Lá vai o Lama

Depois de um fim de semana regado a álcool, festas, comportamentos indecorosos e o auxílio a uma velhinha a atravessar a rua só para descobrir que ela estava à espera de alguém no sítio de onde a arranquei, resolvi aproveitar o início desta semana para pensar um pouco e dedicar-me à espiritualidade.
Como todo o bom português terá pensado, nada melhor então que aproveitar a recente visita daquele carequinha de ar simpático que se veste com cortinados para isso mesmo. Numa sociedade pejada de materialismo, emociona-me o fervor com que vi muita gente falar de espiritualidade por estes dias, incluindo gajos que continuam a pensar que sem Kurt Cobain não existe o Nirvana.
É claro que este acesso de fervor budista por norma passa três minutos depois do Sôr Lama dizer adeus no aeroporto, mas acho à mesma importante que as pessoas se tentem encontrar consigo próprias, nem que tenham que combinar esse encontro num qualquer recanto da Buraca.
Confesso que tive de conter umas lágrimas enquanto via a tia Márcia Rodrigues a questionar o Tenzin, ela cada vez mais loira, ele cada vez mais pacífico falando sobre a não agressão, o respeito pela vida dos animais e a abstracção do materialismo, entre outros temas. No entanto, não pude apanhar a entrevista toda, porque tendo ir visitar a minha mãe, não podia deixar arrefecer as costeletas que ela tinha preparado, especialmente depois de lhe ter dado um carolo porque não estava calada e ainda não tinha disponível o dinheiro da reforma para eu levar.
Sim, não serei a pessoa mais espiritual do mundo, creio até que não estou no top 2 biliões, mas também não finjo que me preocupo, só porque fica bem ou está na moda. Cabe a cada um tomar essa decisão, isto se não são daqueles incapacitados que nem ir votar sozinhos podem. Mas, se estão indignados e dispostos a mandar-me para a Buda da minha mãe por tamanho chorrilho de alarvidades, fiquem aqui com estas dicas. Aposto que para além de não terem pachorra para ler tudo, menos capacidade terão para cumprir um terço das alíneas. E olhem que eu sou um gajo optimista...

Nirvana - Dumb

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  2. Pois, não li tudo...
    Ahhhh, fuck it!!!!

    Vamos todos morrer e ir para o Inferno, se existir.
    Porquê?
    Com a quantidade de religiões que existem é impossível não ser infiel!!!!!

    ResponderEliminar
  3. Olha Mak, eu quero um samma vaca e um samma samadhi, com um pouco de panna, sem annatta e para beber uma Karuna! Ah, e é tudo para levar, obrigada!

    ResponderEliminar
  4. É uma boa escolha musical, é o que é..:) Mas é sempre bonito ver um Skinhead que não seja racista, ou não é? :)

    ResponderEliminar
  5. religiões...
    o pecado...
    o piri...
    seca...

    o encontro so depois da dieta!

    caso nao aconteca, sempre fiz uma boa acçao.

    A

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.