22.8.07

Naturalmente...gatunos



Há coisas que me abalam profundamente, o vodka é uma delas, mas deixemos os meus traumas alcoólicos para quando formos todos beber um copo. O que me leva a escrever estas linhas é uma simpática cadeia que dá pelo nome de Go Natural. E, como o nome indica, numa cadeia existem, para além de ex-concorrentes do Big Brother – ladrões. Neste caso, o roubo não é consumado através de qualquer arma ou abre latas (sim, já me tentaram assaltar com este artefacto), mas através de uma coisa moderna que se chama – pagamento de status.
Ouvimos por todo o lado que devemos optar por comida saudável, que a era da feijoada e do cozido já era, que há milho e animais a sofrerem por nossa causa e mais uma enormidade de factos, alguns deles bem plausíveis. No entanto, a maior parte dos restaurante, sejam vegetarianos, de comida saudável ou com truques semelhantes para nos fazerem acreditar que a vaca Mimosa e o nosso organismo ficarão eternamente agradecidos por lá irmos, continuam a cobrar como se nos estivessem a punir por um passado de ofensas alimentícias.
Acredito que pagar bem por uma boa refeição é justo, mas no caso dos meus amigos do Vai Natural, carregam na conta no que poupam em corantes e conservantes. Só que como é trendy, é moderno, tem até sushi e ingredientes que temos dificuldade em pronunciar o nome, caixinhas que nos permitem transportar a moda alimentar até ao local de trabalho e sacos que mostram que somos uns tipos com um “healthy way of life”, a malta come, cala e paga, não necessariamente por esta ordem.
Por esta altura, enquanto comem a vossa saladinha de queijo Feta e pêra grelhada com vinagrete e meio Wrap de frango e coentros, acompanhados com uma tisana de fungos, uma questão surge na vossa mente: “Se dizes tanto mal, porque é que lá vais? Sim, porque esse conhecimento de causa e ressabiamento só é possível a quem é cliente da casa...”
A resposta é fácil, caros devoradores de sandes de camarão e maionese de ervas e iogurtes com brownie. Numa primeira fase, obviamente fui experimentar, para poder dizer mal em consciência, coisa que me deixa muito mais tranquilo. Apercebendo-me que, apesar de não ouvir a frase “A bolsa ou a vida” era sempre roubado na altura do pagamento, cortei com esses vícios e aproveitei o dinheiro que poupei para dar entrada para um T0,5 na Curraleira. Agora, uso apenas o Go Natural para me vingar da firma, quando esta me obriga a trabalhar até tarde. Ai hoje não chego a casa a tempo de ver a “Vingança”, mas também não é uma noitada que justifique alimento substancial? Então vais pagar 12 Euros por uma Chapata de Atum da Floresta Negra e um CousCous com caspa de aborígene para aprenderes.
Mas, continua a ser um roubo meus caros, porque se para se para limpar o organismo de toxinas alimentares também tenho de limpar a carteira e uma tangerina descascada dentro de uma caixa de plástico custa 2 euros, mas não me fazem desconto se eu lhes devolver a casca, então não me resta senão abrir as portas ao colesterol e às crises de fígado, enquanto me torno um novo Berardo com o dinheiro que sobra.


PS – Este texto não sofre de efeito “Copy-Paste” não tendo sido revisto por nenhum acessor de Luís Filipe Menezes

PSS – Podem continuar a mandar as vossas perguntinhas por mail e caixa de comentários. Já que não tenho jogado paintball, parece-me um substituto adequado.

18 comentários:

  1. Mak, tens de pensar que vale a diferença de preço porque irás poupá-la anos mais tarde, no médico.
    É uma grande treta mas pode ajudar...

    ResponderEliminar
  2. Mas eu não digo que não faça bem, digo é q há outros locais onde a gatunice n é assim tão óbvia, como neste burgo, q estando maioritariamente em superficies comerciais ainda beneficia da proximidade conveniente...

    Conheço diversos restaurantes vegetarianos/saudáveis onde a relação qualidade/preço, mesmo que ainda considere que nos cobrem como luxo algo que devia ser de fácil acesso, bate a do Go Natural nas horas...

    ResponderEliminar
  3. Pois, compreendo, quando chegamos à caixa registadora sentimo-nos uns grandes 'nabos'...

    ResponderEliminar
  4. olha ainda não olhei muito bem para o teu texto, mas já estou aqui no blog ha mais de 10 m a ouvir o charles e eddie... love it :)

    ResponderEliminar
  5. É por isso que esse tipo de alimentação faz bem à linha. Mesmo que tenhas fome, assim que pensas no papel da conta, perdes o apetite.

    ResponderEliminar
  6. ->lol money versus comida dita natural!
    ->nao gosto muito de comida que cheira a quimicos, nao gosto de pao que cheira a fermento em vez de cheirar a pao!
    ->eu prefiro comida natural que nao se encontra em pacotes...Fruta, legumes, peixe, carne!
    -> as vezes la vai, comida do pacote quando a fome aperta e nao se quer ter trabalho, sera uma questao de "calanzisse"?

    ResponderEliminar
  7. a musica da comigo em doida, tou numa fase danada....nao é so a musica..

    a anonima do costume e mesma de cima!

    A lontrinha Pat

    ResponderEliminar
  8. Quanto à comidinha do Go Natural, é cara mas é boa que se farta. Quanto à musiquinha Charles and Eddie, serias menino para me mandar por mail?Sim?Sim? oblogdesassossegado@hotmail.com. Obrigadinhas!Como paga envio-te por correio um wrap de salmão com queijo da serra, que diz que vai muito bem.

    ResponderEliminar
  9. Ouvi dizer que o Movimento Verde Eufémia vai arrasar com as lojas do Go Natural porque os senhores usam Polipropoleno nas embalagens de plástico.

    ResponderEliminar
  10. Parece-me inteligente e conveniente que se use PP em embalagens de plásticos. De que outro material as quereriam...100% algodão?

    ResponderEliminar
  11. São estes tipos de comentários como os de Pala Pala que me fazem perder a esperança na Humanidade. A solução é bastante simples: podiam aproveitar os restos de comida que sobra, misturar, compactar tudo e moldar em pequenos tamparuéres. Resultado; embalagens 100% biológicas e melhor que tudo, comestíveis.

    ResponderEliminar
  12. Boa ideia. Curiosamente estou a vender máquinas de compactagem biológica mais conhecidos como Rolo Compressor Caterpillar. E também vendo tamparuéres para fora.

    ResponderEliminar
  13. podiam usar os restos compactados para produzir adubo Quase natural! O natural, o extrume, a merdunca mal cheirosa..lol

    -[Propoleno]-....plastico..nao cria bacterias...

    Eu gosto mais de TNT - trinitrotolueno - nao se pode explodir com os restos senao ficava tudo sujo!

    A menina ana luis

    ResponderEliminar
  14. estrume, ha quem faça...eu as vezes da-me a sensaçao de que caiu no meio do estrume...

    ResponderEliminar
  15. caro kinder, o meu comentário näo era contra o uso de embalagens 100% biológicas, mas no meu entender, se a embalagem for feita com materiais naturais, näo é de quê?? de plástico, e porquê? porque é feita de materiais biológico. biológico diferente de plástico. faco-me entender??

    ResponderEliminar
  16. Não. mas se calhar o problema é meu. tenho que consultar o meu cirurgião plástico.

    ResponderEliminar
  17. e depois para onde vai o material transformado de alguma maneira em caixa da tampawear lol...hum.....biologico pode virar biologico again....mas biologico transformado ja nao sei! o que vale ee que o planeta ainda é bastante grande!

    ResponderEliminar
  18. Bom, já sei que para ti não levo mais brownies do Go Natural...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.