16.3.07

Fill in the the blanks

Como já dei a entender em posts anteriores, mantenho uma relação de amor-ódio com os transportes públicos. Sou utilizador regular, acho que podiam funcionar cerca de dez mil vezes melhor, mas têm neles pormenores impagáveis, especialmente se forem gente socialmente alerta (vulgo coscuvilheiros) com uma imaginação fértil, como eu.
Hoje de manhã, no meu trajecto habitual de 15 minutos de 27 até ao estaminé profissional, apanhei metade de uma conversa ao telemóvel da senhora de trás, que também não se esforçava minimamente para a disfarçar. O tom não era irritado, mas era tenso e revelava que não era sobre a descoberta da cura do Ébola aquilo de que se falava nesta conversação.
O melhor para mim, mais do que a parte que eu ouvi, é poder imaginar o que estaria a ser dito do outro lado. É um simpático exercício de criatividade e distrai-nos da visão do episódio de dois idosos atropelados na passadeira, que está a ter lugar logo ali ao lado.

Versão A (o que eu ouvi)
(toque de telemóvel)

Elemento X - ?
Senhora do 27 - Já te passou a birra?
Elemento X - ?
Senhora do 27 - Porque é que ontem não disseste nada?
Elemento X - ?
Senhora do 27 - O que é que pretendes de mim?
Elemento X - ?
Senhora do 27 - Ah, então é de mais...é bom saber que pensas isso.
Elemento X - ?
Senhora do 27 - Veremos.

Dedução lógica – Oh, temos arrufo. Será?

Versão B (o que eu imaginei)

Armindo – Dona Elisabete, é o Armindo do talho
Senhora do 27 – Já te passou a birra?
Armindo – Não diga isso, a senhora viu que eu estava desorientado com tanto cliente
Senhora do 27 – Porque é que ontem não disseste nada?
Armindo – Porque não tive tempo até sair e ainda tive de põr as carnes na arca.
Senhora do 27 - O que é que pretendes de mim?
Armindo – A senhora pediu dois quilos de costeletas, um borrego e três quilos de febras. Como o borrego é grande, penso que três quilos de febras são de mais.
Senhora do 27 - Ah, então é de mais...é bom saber que pensas isso.
Armindo – Ui, ainda lhe vai sobrar muita comida.
Senhora do 27 – Veremos.

Alucinação ou mundo paralelo? Nunca saberemos.

Versão C – Deixo ao vosso critério

PS – Posso apenas acrescentar que a senhora, depois de desligar, ligou para uma pastelaria a encomendar um bolo de aniversário, mas sem nozes na cobertura e em vez disso, a palavra “Parabéns”. Pode ser que ajude à vossa imaginação.

8 comentários:

  1. Tone: Olá Genoveva podes falar?

    Senhora do 27: Já te passou a birra?

    Tone: Foda-se nunca pensei que me fizesses aquela merda!

    Senhora do 27: Porque é que ontem não disseste nada?

    Tone: Caralho metes-me o dedo no cu enquanto fazemos o amor e ainda queres que fale contigo!
    Isso é violação, ainda é pior quando vi a tua avózinha nua na casa de banho a trocar a fralda.

    Senhora do 27 - O que é que pretendes de mim?

    Tone: A minha tia Ernestilda faz anos podias ir à pastelaria do Manel e encomendar um bolo, mas sem nozes porque dão comichões no escroto do meu tio Gervásio.
    Mas tu és a fada do lar escolhe tu filha mas não tragas um de 3kg como ano passado.

    Senhora do 27: Ah, então é de mais...é bom saber que pensas isso

    Tone: Penso nisso e no amor que vou fazer em teu pipi depois da festa:p

    Senhora do 27: Veremos.

    ResponderEliminar
  2. Como era a senhora Mak? Quarentona, cinquentona? Como era o Telemóvel? omo era a mala onde a senhora guradou o telemóvel? SE mer deres esses detalhes, o post fica perfeito. A história da minha vida é ouvir conversas alheias.(várias em simultâneo)

    ResponderEliminar
  3. Granda 27... Melhor só o 60. o 23 também não é mau!

    ResponderEliminar
  4. credo, mas será que andamos todos nos mesmos autocarros? eh, que disparate, são só 3 as linhas da carris de lisboa né?

    ResponderEliminar
  5. FDX tinha feito um grande comentário a todas as respostas deste post, mas veio o blogger e...comeu.

    Por isso, quem tiver mesmo curiosidade que me mande um mail, que eu fiquei f.... com isto

    ResponderEliminar
  6. eu tou curiosa!
    preciso enviar email?

    ResponderEliminar
  7. Nunca apanhei o 27, mas as carruagens de metro também devem ter números. Para mais, essa cumbersa serve qualquer para fazer qualquer número...

    ResponderEliminar
  8. Adoro fazer versão de telefonemas e "filar os blanks"...
    Qt à tua versão fantástica é o adjectivo que me ocorre.
    Não tens o contacto do talho, não?

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.