4.2.07

A pequenez dos Grandes Portugueses

Esta história dos Grandes Portugueses irrita-me. Parece-me que fazer um programinha e deixar nas mãozinhas da populaça (e de todos os mafiosos que nela pululam) a eleição do maior português de todos os tempos é um bocado como tentar eleger a melhor cabeleireira do eixo Massamá-Cacém. Tem a ver com coisas que mexem na cabeça das pessoas nem sempre da melhor maneira e com fortes probabilidades de o resultado ser medonho. Isto para não falar do negócio que há pelo meio, sim porque em cada voto pingam umas coroas para a RTP, muito possivelmente para pagar os tratamentos e o sofrimento porque passa Maria Elisa para cumprir cada sessão do programa. E a nós, pelo menos algum do sofrimento que a RTP nos causou ao longo dos tempos, quem paga?
Quando penso na subjectividade dos critérios que podem ajudar a definir o que é um grande português, dão-me uns certos arrepios ao ver que, com a campanha certa, o Tony Carreira poderia ter surpreendido tudo e todos e estar agora a ombrear com Salazar e Afonso Henriques. Aliás, ao consultarmos os 90 que ficaram de fora do top10 verificamos que há diversidade e a congregação de vários interesses geracionais, segundo os que gostam desta iniciativa. Já eu digo que existe o chamado tiro ao boneco e falta de critério. Aproveito também a ocasião para pedir que alguém me diga quem de raio são as figurinhas que ficaram em 58º e 79º lugar. Na minha lista, estão bem atrás da porteira do meu prédio, que todos os dias põe o caixotinho do lixo na rua a tempo e horas.
Quem é grande fica com o nome na História naturalmente, mesmo os grandes merdas (categoria em que o lote lusitano também é forte e garboso). Não são precisos votos manhosos por telefone, nem defensores a tentar provar que o seu defendido é um bocadinho maior que o dos outros e nem sequer umas aulas de História à pressão para a malta saber quem são aqueles senhores de quem aquela senhora fala com tanta reverência.
Meus caros, se querem votar à grande e à francesa estejam à vontade, mas garanto-vos que na noite de entrega dos prémios o vencedor não vai estar presente. Felizmente para ele já está morto e, ao contrário de muita gente, já não em vida para aturar estas cenas.
É que, quanto mais tempo se perde em honrarias artificiais aos Grandes Portugueses, menos se pensa nos portugueses que mais interessam: nós, os que podemos não ser tão grandes, mas que também não deveríamos ser tão pequenos.

10 comentários:

  1. Não poderias ter escolhido tema mais medonho.Com efeito, depois de este fds ter encontrado 3 cartazes relativos ao tema e promovendo o suposto "concurso" voltei a pensar no assunto: qual o interesse desse Programa? E por muito que pense não me ocorre nada. Zero. Nem sei se tal coisa tem audiências. O que justifica um BBrother, eu compreendo. Uma Programa destes, juro que não. Pior pior é que acho que tem alguns convidados de luxo, que muito honestamente não percebo como aceitam convites da categoria.
    Coitados dos concorrentes...às voltas no tumulo de certeza.

    ResponderEliminar
  2. Mak aproveito este teu post para apelar ao voto no esquizofrénico o homem que tinha a vida mais parecida com a nossa: levantava-se, lavava os sentes, ía trabalhar na repartição e, ao final do dia, regressava a casa para ser outro, em parte incerta da sua imaginação. Enfim uma pessoa cheia de gente dentro de si!Aproveito também para te enviar a minha foto em nú integral (do pescoço para cima)

    ResponderEliminar
  3. Também não percebi o interesse desse programa. E também não percebo como é que há gente que consegue perder tempo e dinheiro a ligar para lá!
    É dos piores programas dos últimos tempos.
    As pessoas tornam-se importantes pelo que fizeram, sem necessidade de haver um concurso para as notabilizar.

    ResponderEliminar
  4. O Santo António não é Italiano?? E a Irmã Lúcia, que eu saiba não lhe contaram o segredo só a ela e a única vantagem que ela teve em relação aos outros dois foi ter vivido mais anos. Além do mais, se Fátima quisesse que todos soubessem não lhe chamaria segredo... Lúcia não passou de uma bufa que não conseguiu manter a palavra e calar-se até à morte, tal qual os seus comparsas fizeram. A meu ver isso não é grandioso...
    Quanto ao 79º, eu não sei, mas disseram-me que o tipo ficou de cadeira de rodas lá no papelão que lhe deram naquela novela que lança jovens actores, muitas vezes no ridículo. O que explica o seu lugar na lista. Nós sempre adorámos um dramalhucho e um coitadinho de cadeira de rodas. Porque não fazer homenagem a este que até é um drama fictional. Quanto ao 76º acho que foi só mesmo pela altura do moçoilo, dado que para além de ter piada e imitar muitas vozes não se lhe conhece mais nenhum talento.

    Mas de tudo o que eu acho fantástico é o tipo que "nos livrou" da ditadura ficar em 11º e o ditador ficar entre os 10+. Também aqui se sofre o problema de os discos mais vendidos não serem sempre os melhores.

    ResponderEliminar
  5. Isto é só para acabar de esgotar o stock de bandeirinhas que não se vendeu no mundial...

    ResponderEliminar
  6. E se Tivessem dado o poder ao Cunhal, estavamos na China? (Espera lá, por acaso até estamos, até temos salários parecidos e tudo...)

    ResponderEliminar
  7. E, apesar da palhaçada toda, Batatinha continua sem ver reconhecidos os seus esforços em prol de portugal e das criancinhas portuguesas...

    ResponderEliminar
  8. Clap Clap Clap Clap
    Sim senhor!
    Eu a pensar (sim é verdade!) que vinha ver um post daqueles para me atirar para o chão a rir, quando chego e dou de caras com um post que embora me faça rir (nao me atirando para o chão) tambem me faz pensar: "Fónix (reparem na introdução à chunga) este gajo escreve umas verdades valentes sim senhor!"

    Agora a sério... ainda não percebi a finalidade deste programa. Ou melhor, eu percebo que seja mais uma fonte de audiencias (e nada mais que isso) e de receitas com o televoto, o que não entendo é a quem é que nós estamos a tentar provar o que!?

    Enfim... haja paciencia e que ganhe o actor dos morangos...

    ResponderEliminar
  9. Ninguém me consegue convencer que aquilo não passou dum ensaio geral para algo mais grandioso, arquitectado plo pessoal do FCP, de forma a pôrem a Maria Elisa a ganhar pontos à Carolina Salgado. É que os timings...

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.