14.2.07

Efemérides de-coração




Há muito que desejava usar a bonita palavra "efeméride" como título de um post. Calhou hoje, como podia ter calhado noutro dia qualquer, que mesmo assim continuaria a fazer sentido. O que eu vou dizer é que não, mas a isso, também já os parcos visitantes deste antro estão habituados.
Neste dia, em que o ursinho de peluche pilhado à irmã mais nova, o jantar fora no McDonald’s e umas quaisquer flores roubadas num canteiro das redondezas assumem poderes mágicos e têm para alguns um significado terno e carinhoso, gostaria de relembrar duas figuras ligadas intimamente a esta data.
Foi a 14 de Fevereiro de 1989 que este senhor recebeu um postal, vindo de longe. Era pura paixão; intenso, caloroso e prometia tocá-lo profundamente como se fosse a última vez, literalmente. Embora ele não percebesse na plenitude as palavras (na verdade não percebia nenhuma), compreendeu que era para levar a sério.
Mas, não podendo corresponder à altura à relação que lhe propunham (nomeadamente porque essa relação tinha por fim pô-lo na horizontal), optou por voltar as costas, mas sempre a olhar para trás, não fosse depois de tão carinhosas palavras, alguém lhe querer dar o coração, mais propriamente o seu. É esse o poder do amor, chegado às vias de Fatwa...
No entanto, neste dia também há quem tenha tanto amor para dar que não cabe em si próprio. O que me faz lembrar a história desta simpática senhora, falecida a 14 de Fevereiro de 2003. Uns chamaram-lhe uma aberração, outros um milagre, o facto é que os seus olhos dóceis e o seu corpo torneado fizeram as delícias de muita gente, mas não no sentido literal, como acontece a muitos dos seus semelhantes.
Ansiosa por amar e crescer, cresceu cedo demais e envelheceu antes do tempo, para espanto e desencanto de muitos que tinham por ela sentimentos fortes, incluindo pastores pelo mundo inteiro. Assim desapareceu, jovem fogosa por fora e velha empedernida por dentro, mas deixou a sua marca para sempre (ainda que empalhada)...

Não me acusem de cinismo, eu gosto imenso deste dia, nem que seja pelas razões erradas.

6 comentários:

  1. antes cínico que ingénuo. o que é que este dia tem de bom para oferecer, mesmo aos que têm uma boa relação amorosa com alguém?

    ResponderEliminar
  2. E se queres mais uma, foi o dia em que comecei a trabalhar no meu actual emprego...:)

    ResponderEliminar
  3. Finalmente acabou este dia!! IUUPIIII

    ResponderEliminar
  4. Tem piada, amc! Por coincidência também foi neste dia que comecei no meu actual emprego. Não pode mesmo ter nada de bom...(odeio este tipo de rerlação amorosa em que uma pessoa está contrariada no namoro, apenas para ganhar o seu ao fim do mês, tipo prostituta).

    ResponderEliminar
  5. Por acaso ontem fui despedido, por ter sido apanhado a escrever aquele texto dentro do horário de serviço.

    Felizmente, quando acordei hoje vi que afinal tinha sido um sonho...

    ResponderEliminar
  6. 2 comentários...Dollie, só mesmo a Dolly Parton, mas percebo que não fales nela, porque não sobraria espaço neste blog.
    Quanto ao senhor da carta, se a carta fosse minha seria a elogiar um dos seus lvros "O chão que ela pisa".
    Já agora, eu só recebi cartas com facturas e a pedinchar dinheiro! Como eu adoro estes dias!!!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.