29.1.07

Post estúpido não, Stupid Post if you please

Os Compota de Pérola, Jardim do Som, Os Riscas Brancas, Milho, Rapazes Bestiais, Nico das Cavernas e as Más Sementes ou Colina dos Ciprestes. Sem pensar muito, encontram-se num instante dezenas de nomes de bandas de nomeada que, se tivessem nascido em Portugal, com esse nome arriscavam-se a acabar como banda residente da Praça da Alegria ou a fazer backup ao Paulo Gonzo.
A verdade é que, nessa área, grande parte de termos/expressões soam melhor em inglês, mesmo que o signifcado seja igualmente idiota. Provavelmente, isto deve-se ao facto de sermos bombardeados com cultura/música anglófona desde há muito tempo e já estarmos habituados. Por mim, tudo bem, mas acho que não custava nada a certas bandas actualizarem-se e tornarem-se um pouco mais como direi, charming.
Ok, já temos os Blasted Mechanism, os Gift, os Blind Zero, já tivemos os Silence4, os Coldfinger, o Toy (ok, este é dúbio, mas o Toy não faz sentido seja em que língua for). Se repararem, os nomes continuam a ser algo idiotas, mas têm outro glamour, outro vibe.
Por isso, deixo aqui umas sugestões para os que ainda têm oportunidade de ganhar estatuto e se internacionalizarem e também dicas que podiam ter salvo carreiras musicais:


Adelaide Blacksmith (se sempre teve pinta disso, porque não aproveitar)

Mark Paul (Porquê ser cantor de referência apenas em Portugal, se há um Sean Paul ou um Mark Anthony a bombarem lá fora)

Kicks & Blows (embora olhando para o Tim, o único que já tem nome internacional, qualquer kick ou blow adicional e o homem rebenta)

Dark Gold Duo – com uns toques de hip hop e o êxito “I’m gonna take u with me my brotha” teria ecoado até no Bronx. Já o Raúl Indipwo continuaria estranho em qualquer lugar.

Lost Tare – Mau por mau, assim, pelos menos as pessoas ainda ficavam na dúvida, já que em português esta podia ser a banda sonora do Parque Eduardo VII.


E nem me façam falar de títulos de filmes...

6 comentários:

  1. E aquela girls band portuguesa, a grande referência para as Spice Girls, as Bitter Little Girls aka Amarguinhas?

    ResponderEliminar
  2. Adorei o blog! Chorei a rir com a história das panquecas e com a do messenger!
    Por incrível que pareça já tinha tentado entrar no teu blog através do link de outra pessoa e nunca consegui, bloqueava sempre e bloqueava-me o meu pc.
    Hoje consegui finalmente.
    beijocas

    ResponderEliminar
  3. @ Catarina - De facto é uma falha não ter mencionado essas senhoras, descendentes das Sweet, mas também dos Hey Dude Two Thousand, do Tony Career ou até mesmo dos Mouse Killers e dos Strip & Go.

    @ Kitty - Foge, ainda vais a tempo, eu também comecei por cá vir fazer um comentário e acabei por ser obrigado a ficar com o blog, é uma maldição ;)

    ResponderEliminar
  4. Lion of the Star? White clothe village?

    ResponderEliminar
  5. ou .... Tony BusLine , Gato Esteves, Miguel Aparafusado, Paul Oaktree, Paul Gonz aka Ganso Ganzado, Tomé Jonas, Peter Branchs (este conheces a anos)

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.