26.1.07

Corte e costura




De facto, ninguém diria que foi tudo por causa de um fato. Mas foi, e eu sabia com que linhas me cosia quando procurei aquele alfaiate, que todos conheciam por não dar ponto sem nó. Mas, porque até no melhor pano cai a nódoa, resolvi ir ter com ele e tirar as coisas a limpo.
Ele bem tentou apanhar-me com as calças na mão, mas nunca perdi o fio à meada e às tantas, visto que eu queria um fato e ele me estava a dar uma tanga, resolvi tirar as luvas e dizer umas verdades áquele vira-casacas.
Depois de falar com os meus botões e lhes ter dito que estava farto de apertar o cinto sem ver resultados, comecei a lavar roupa suja com o alfaiate e aquilo deu pano para mangas. Mas não chegava e só depois de horas a cortar na casaca, é que de facto chegámos à conclusão que não ia haver um fato.
Era a verdade, nua e crua e eu, despido de preconceitos e também de um fato que nunca o chegou a ser e vim-me embora de mãos a abanar. Saí de lá a correr e vinha de cabeça quente, não por causa do facto de não ter fato, mas por ter a certeza que de alguma maneira me enfiaram um barrete...

2 comentários:

  1. Já ouviste falar em Pret a Porter?

    Ou pensaste em enveredar pela Alta Costura?

    ResponderEliminar
  2. Gostava de ver uma foto do Mak "despido de preconceitos" e com um barrete enfiado!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.