27.7.06

Três avisos matinais

O percurso matinal que faço casa-taberna-trabalho, alertou-me para três coisas que gostaria de mencionar, numa espécie de alerta totalmente desprovido de interesse:

1 – Gajos de óculos escuros no metro – Para mim, os únicos com legitimidade para o fazer são os cegos, desde que munidos com bengala, caixa de esmolas e pregão condizente. Assim, sei facilmente quem posso rasteirar ou dar um calduço sem ter que me preocupar se o tipo viu quem foi. Quanto ao restantes artistas, pensem nisto: a labreguice é opcional, a cegueira por norma não.

2 – Sprinters idosos – Não sei se será próprio da condição humana, mas a partir de uma certa idade, parece haver uma tendência para tentar fazer coisas para as quais já não estamos aptos. O número de velhotes com insuficiências físicas de toda a espécie que tentam atravessar ruas e avenidas com sinais vermelhos ou fora da passadeira é bastante elevado. Caros cidadão seniores, o bowling de peões ainda não é permitido neste nosso Portugal e há formas mais subtis e menos dolorosas de recorrer à eutanásia. Por isso, não continuem a dar má fama a peões como eu, habituados a fazer a avenidas de cinco faixas ao pé coxinho, com os olhos tapados e o sinal vermelho.

3 – O factor Expresso – Quando surgiram os primeiros jornais gratuitos toda a gente achou mta piada. “Olha, agora posso controlar o decote da gaja da frente sem ter que comprar um jornal para disfarçar” ou “Assim, posso ouvir a conversa do lado sem ter que andar com um calhamaço do Dan Brown às costas” foram frases muito ouvidas entre os populares. O sucesso origina imitação e pouco depois começaram a surgir novos gratuitos, hoje até gratuitos de índole financeira como o Oje nos são oferecidos por jovens de todas as nacionalidades, credos e índices de limpeza, a caminho do trabalho. Pouco falta para surgir um gratuito desportivo e um gratuito de novelas, acreditem, mas o facto é que agora saio de casa de mãos vazias e, se não tenho cuidado, chego ao emprego com o Expresso, cheio de Cadernos, cadernitos e cadernetas, algo que pensei já ter banido do meu sistema e que a minha coluna agradeceu. Comigo, essa malta dos gratuitos ia pagar bem caro a ousadia, mas pronto, se é de borla quem é que vai recusar?

25.7.06

25 de Abril Sempre

Finalmente percebi, porque é que há um grupo de gajos que faz do slogan “25 de Abril Sempre” a sua bandeira. É vê-los em confraternizações, aniversários, manifs, despedidas de solteiro e até baptizados a gritar a plenos pulmões e com ar sonhador pelos gloriosos dias de Abril de 74. É que nessa altura a vida era fácil, não havia preocupações com a indumentária e pilosidades faciais, mesmo se fosses deputado, para arranjares emprego bastava sentares-te numa cadeira vazia numa empresa e passados uns dias já fazias parte da prata da casa e, acima de tudo, era fácil acautelares o teu futuro.
E foi hoje que percebi isso, quando soube que o nosso deputado poeta, candidato a presidente, sósia do Pai Natal, Manuel Alegre, por uns meses de trabalho no pós revolução na RDP garantiu uma reforma de 600 contos na moeda antiga. Agora percebo o apelido, faz pleno sentido, trabalho é alegria, especialmente se for pouco e a reforma muita. Deixa-me só ir ali acabar a máquina do tempo que estou a construir e pode ser que por um dia de trabalho ainda dê para limpar uns 200 contos de reforma.


PS – Não querendo ser apelidado de injusto e ressabiado (qualidades que encarno muito mais como nomes próprios) diga-se que o Alegre, que nada tem de pateta, rapidamente abdicou de dois terços dessa reforma, pois assim pode continuar a receber por completo o escasso salário de deputado. É que há que juntar uns trocos, para que nunca falte comida na mesa para ter forças e soltar um sonoro “25 de Abril Sempre” cada vez que pedir um extracto no Multibanco.

21.7.06

Disney despacha 650 para o desemprego

Ah pois é, pensam que é só nas fábricas, que é só a malta da General Motors e dos curtumes e afins que lixam o proletariado, mas enganam-se. A malta da bonecada também os despacha e não poupam caras conhecidas. Segundo as últimas informações, entre os despedimentos estão algumas das principais figuras do imaginário clássico da Disney, que pelo alto vencimento auferido e pouca adaptação à modernidade que se exige num desenho animado do séc.XXI se tornaram alvos fáceis. Assim sendo, eis alguns dos visados, cujo destino pode passar por Portugal, estando ainda por revelar alguns dos nomes:

Bela Adormecida e Cinderela – O surgimento de novos personagens femininos ditou o declínio destas duas beldades clássicas, cujo o único rendimento que tinham vindo a dar era dos royalties pagos por filmes antigos. Ao que parece, as novelas da TVI poderão ser o seu destino, algo que parece estar a enfurecer Alexandre Lencastre, que a curto prazo poderá aceitar o convite da Disney para substituir a Bruxa Má e tornar o personagem mais voluptuoso.

Tio Patinhas – Anos e anos a fio a desviar dinheiro, tiveram como fim uma despedida pouco honrosa. Ao que parece, o velho pato conseguiu apenas trazer como indemnização a sua moedinha nº1, com a qual pretende fazer investimentos em Portugal, capitalizando a sua marca fantoche WC Pato e lançando uma OPA sobre o CIF, segundo indicações do seu colega da primária, Belmiro de Azevedo.

Minnie – Vivendo sempre na sombra de Mickey e sofrendo com os boatos das infidelidades deste com a vaca da Clarabela e até com a Margarida (não confundir com a namorada do Donald, refiro-me à gaja da Abraço), este despedimento acaba por ser uma benesse. As ofertas para projectos alternativos ao que consta não têm parado e a escolha de Minnie parece ter recaído na mini série “A Rata” da autoria de Francisco Moita Flores, que retrata em 148 episódios a vida de uma postituta de renome, por altura do pós-terramoto de 1755.

Pateta – Com a eleição de George W. Bush, tornou-se claro aos responsáveis da Disney que a existência deste personagem deixou de fazer sentido, já que a malta acha muito mais graça a um personagem de carne e osso. Até o seu alter-ego Super Pateta, passou a ser considerado obsoleto, com a ascensão dos Incredibles. O herói de ceroulas e capa remendada, pretende abrir agora um franchising em Portugal para comércio de super-amendoins, tendo já um acordo com a Sagres e com o Benfica para parcerias futuras.

Paulo Portas – Apesar de numa primeira olhadela podermos até pensar que este personagem não se enquadra no perfil das anteriores, a Disney já avançou com um comunicado. Portas era responsável pela inspecção de feiras a fim de verificar a contrafacção de figuras e material Disney. Visto que agora tem um programa de desenhos animados (ou que se parece com isso) na Sic Notícias, a Disney não teve outro remédio senão despedir Carnival Paulie, como era conhecido nos meandros da empresa.

17.7.06

História de Cordel

Sempre tinha sido conhecido por saber puxar uns cordelinhos na sua profissão, embora na na vida pessoal o acusassem de ser um joguete nas mãos da namorada e ter sempre uma expressão vaga na cara, que deixava os outros a pensar se não estariam a falar para o boneco. No entanto, foi só aos 35 anos, quando foi internado de urgência e o médico lhe disse que o seu coração era um farrapo e a sua vida estava por um fio, que este francês descobriu que era uma marioneta.
O seu nome era Toche e fiquei para sempre seu fã.

14.7.06

Irritação

Coisas que me têm vindo a irritar:

Não saber se o Belenenses fica ou não na primeira divisão.
Viver num país em que o José Figueiras vive em liberdade.
Ser governado pelo Sócrates.
Ter sido governado pelo Santana Lopes.
Ter uma selecção de futebol sem um ponta de lança de jeito.
O António não escrever nem aqui nem blog dele.
Nunca mais fazerem um filme sobre o Tino de Rans.
Aquele programa em que gajos falam sobre gajas na SIC Mulher.
O Cristiano Ronaldo andar com pochetes da Luis Vuitton.
O Madaíl pintar o cabelo e a barba.
Desconhecer o paradeiro do Luís Pereira de Sousa.
Darem óscares a gajos que fazem de coitadinhos.
Darem óscares a gajos que passam um filme com um balde na cabeça.
O Sócrates ter proibido o Diogo Infante de sair de casa.
A vaga de adaptações cinematográficas de banda desenhada.
O Tom Cruise e a cientologia.
Floribela.
Os Morangos com Açúcar e as crises da adolescência: o primeiro pintelho, como hei de comer à mesa, etc
Putos que andam com as calças pelos joelhos e com os boxers à mostra.
Mitras de boné, brinco e cachuchos nos dedos.
Manuela Moura Guedes.
Aquele otário que publica biografias de todos os jogadores de futebol e que se chama Daniel não sei quantos.
O Costinha ir à selecção.
Haver cada vez mais gente desempregada.
Depois de um gajo ter passado quase uma década na faculdade, virem estes paneleiros inventar o Tratado de Bolonha.
Pessoas que dizem treuze e númaro.
Gajos que confundem à com há.
Rui Pedro Tendinha.
Edições Especiais de DVD's em que os extras são os trailers e as filmografias.
A Alexandra Lencastre ter umas grandes mamas e não as mostrar.
O Manuel João nunca ter conseguido as assinaturas para se candidatar à presidência.
O nariz da Maya.
Um gajo fazer zapping ao fim da manhã e ver o Goucha, o Jorge Gabriel e o Cláudio Ramos nos principais canais portugueses.
Bernardino Barros a comentar jogos de futebol.
Os marialvas tipo Gonçalo da Câmara Pereira.
O revivalismo da electro-pop, acho que já chega.
Ningúem denunciar o facto do Freitas do Amaral sofrer de bócio.
Os pivots de telejornais armados em escritores: José Rodrigues dos Santos e Rodrigo Guedes de Carvalho, por exemplo.
Gajos que fazem listas.
Gajos que fazem listas de coisas irritantes.

13.7.06

Portugueses vão continuar com a moral (entre outras coisas) em alta

Alegrem-se aqueles que pensavam que o fim do Mundial, marcava o início da depressão. O II Segundo Salão Erótico de Lisboa está aí e com o balanço que levamos do Mundial vai ser uma festa.
A secção Sado-Maso vai ter, entre outros, o Rooney Room, onde muitos poderão experimentar o prazer de pisar ou ser pisado com umas chuteiras nos genitais e uma zona Mau Mau Ronaldo, onde se poderão dar umas palmadas ou vergastadas no traseiro de alguém com uma máscara do internacional português, por cada vez que se atirou para o chão.
Arrastar o nome de Portugal na lama também vai ter outro sentido mais festivo, já que aqui os portugueses vão poder fazê-lo na companhias de jovens muito dotadas em divertidas lutas “a la jogos sem fronteiras para adultos”.
Por entre muitas outras actividades, haverá ainda a Sala Scolari, onde os portugueses vão aprender muitas técnicas, ensinadas por experientes profissionais sul americanas, de como manter a bandeira portuguesa hasteada durante mais tempo.
Para o encerramento do salão, prevê-se que a artista porno americana Randall Nightlong
tente bater o recorde do Guinness de encontros sexuais consecutivos, pelo que a acção está marcada para o Marquês de Pombal e vai ser pedido a homens, mulheres e crianças que fizeram desse local um must durante o Mundial que nesse dia se dirijam para lá, apenas cobertos por uma bandeira nacional e com o BI.

10.7.06

Ela tem apenas 15 anos de idade

Eis o momento por que todos esperavam: A análise prometida da letra de "Ela tem apenas 15 anos de idade", de Amadeu Mota, que actualmente pode ser ouvida aqui no blog.

Photobucket - Video and Image Hosting

Ela tem apenas 15 anos de idade
Mas o amor que sinto agora é amor de verdade
Ela tem apenas 15 anos de idade
Mas o amor que sinto agora é amor de verdade
Ela com os seus 15 anos
E eu com os meu desenganos
Uma vida sofrida, perdida no campo do amor
Esse amor é diferente, sinto aqui dentro de mim
Sabendo que até meus amigos comentam assim
E então?
Ela tem apenas 15 anos de idade
Mas o amor que sinto agora é amor de verdade
Ela tem apenas 15 anos de idade
Mas o amor que sinto agora é amor de verdade
Deu-me uma fotografia

(Aqui segue-se qualquer coisa que não consegui perceber a respeito da fotografia. Percebi apenas que Amadeu não queria aceitar, mas a sua Lolita insistiu dizendo que era uma prova de amor)

Ela tem apenas 15 anos de idade
Mas o amor que sinto agora é amor de verdade
Ela tem apenas 15 anos de idade
Mas o amor que sinto agora é amor de verdade

Esta é, para mim, a mais bela de todas as músicas do grande e insofismável Amadeu. A forma apaixonante e heróica como desafia as convenções pequeno-burguesas da preconceituosa e intolerante sociedade portuguesa só pode ser comparável ao acto rebelde de John Lennon, quando fumou uma ganza na cama tal como veio ao mundo ao lado daquela japonesa com muito mau aspecto, na altura em protesto contra a guerra do Vietname. Pois bem, nós não temos o Lennon, mas temos o Amadeu e acredito que ficámos a ganhar.

Ela tem apenas 15 anos de idade mas o amor que sinto agora é amor de verdade. Pungente. Fabuloso. Indescritível. Diria mesmo homérico. Toda e qualquer razão que possa levar um homem feito, provavelmente sexagenário e a caminho da decrepitude e senilidade, a declarar a paixão assolapada por uma rapariga de 15 anos terá, obrigatoriamente, de levar às lágrimas o mais duro dos vilões de um western spaghetti.

Depois: Ela com os seus 15 anos e eu com os meus desenganos.

Talvez resida aqui o busílis da questão. Ela pode ter 15 anos, mas o Amadeu é um homem que já não é enganado tão facilmente como outrora. Desenganem-se os que pensam assim. Farto de logros, o Amadeu decide-se por um amor proibido, optando por esfrangalhar as suas peles gastas contra o corpo tenro e por explorar de uma jovem cujo ano curricular escolar deverá ser, em caso de aproveitamento 100 por cento positivo, o 10º ano. E quem diz que isso é errado? Bom, talvez todas as pessoas deste mundo que nunca tenham sentido nenhum instinto pedófilo. Mas isso agora não interessa nada. O que interessa é que Amadeu, rebelde como sempre, decide gritar bem alto os seus sentimentos, não obstante saber que isso lhe poderá custar uma ida ao DIAP para prestar esclarecimentos.

Tenho ainda para mim que o Amadeu nesta música aflora uma face da pedofilia menos em voga em Portugal e portanto menos passível de simpatias por parte da exigente opinião pública portuguesa que tende a favorecer os rotos que abusam de crianças desfavorecidas. Essa face é a da pedofilia heterossexual. Com efeito, e porque o Amadeu é muito macho, nunca ninguém o verá a proclamar o seu amor por um qualquer jovem imberbe e cheio de acne. Até porque chouriços já há muitos e dos bons na terra do Amadeu. Com efeito, e como é facilmente constatável na letra desta épica ode ao amor proibido, o Amadeu canta bem alto o seu amor, ainda por cima correspondido, por uma jovem com idade para ser sua neta, mesmo que isso lhe granjeie a reprovação dos seus amigos:

Sabendo que até meus amigos comentam assim.

A esses amigos, que como sabemos já o haviam cobardemente iludido e abandonado (vide análise do cover de To Love Somebody), Amadeu responde apenas: E então? Assim como quem diz: eu é que sei onde meto o nabo, metam-se mas é na vossa vida, se não levam uma lamparina no focinho.

Depois, ainda podemos perscrutar nesta letra todo o cavalheirismo do galanteador Amadeu. Apesar da sua jovem amada lhe querer oferecer uma fotografia sua, o Amadeu recusa, sabendo que isso poderá vir a ser aziago para ambos caso a Polícia Judiciária decida investigar mais a fundo esta relação amorosa. No entanto, e como é uma prova de amor, a jovem exorta o Amadeu a aceitar, colocando os dois pombinhos em risco.

Espero ansiosamente por desenvolvimentos deste caso. Se vierem em forma de canção, melhor ainda.

Fraquinhos...

Photobucket - Video and Image Hosting

Cliquem aqui para uma imagem ampliada.

Não deram para aquecer, não obstante os esforços do meu colega do blog.

Então é assim:

1 - Sterling Hayden, Jack D. Ripper, Dr. Strangelove
2 - William Powell, Godfrey, My Man Godfrey
3 - Owen Wilson, Hansen, Zoolander
4 - Will Ferrell, Franz Liebkind, The Producers (remake)
5 - Molly Shannon, Mary Katherine Gallagher, Superstar
6 - Marty Feldman, Igor, Young Frankenstein
7 - Roberto Benigni, Johnny Stecchino, Johnny Stecchino
8 - Peter Sellers, Dr. Strangelove, Dr. Strangelove
9 - John Turturro, Jesus, The Big Lebowski
10 - Harry Shearer, Derek Smalls, This Is Spinal Tap
11 - Jack Black, Barry, High Fidelity
12 - Marty Feldman, Orville Sacker, The Adventures of Sherlock Holmes' Smarther Brother
13 - Bruce Campbell, Ash, Army of Darkness
14 - Vince Vaughn, Wes Mantooth, Anchorman: The Legend of Ron Burgundy
15 - George C. Scott, Buck Turgidson, Dr. Strangelove
16 - Walter Brennan, Stumpy, Rio Bravo

5.7.06

Os três bravos resistentes




São apenas três os cidadãos portugueses que ainda não foram entrevistados para dar a sua opinião sobre a selecção portuguesa antes/durante/depois de um jogo da selecção. Com as meias finais a poucas horas de distância, as buscas dos meios de comunicação têm-se intensificado, prevendo-se inclusive o recurso a médiuns para tentar localizar os cidadãos em causa.
Ao que conseguimos apurar, são já oferecidos prémios para estas pessoas caso decidam aparecer voluntariamente, prémios esses que incluem: um salto de bungee jumping da Estátua do Marquês de Pombal (elástico opcional), aulas de crowd surfing perto de qualquer dos ecrans disponíveis para assistir ao jogo de hoje em público ou uma participação especial numa produção de ficção de um dos canais televisivos (Camilo, o Pendura na RTP, Floribela na SIC ou Telejornal na TVI).
No entanto, à hora de fecho da nossa redacção ainda não foram avançadas notícias do seu paradeiro, avançando-se já a hipótese de serem infiltrados franceses ou docentes da zona da Damaia a braços com fatwas da comunidade cigana local.

PS - Foi já confirmado que o indivíduo da barba não é Petit ainda jovem.