30.1.06

Cenas Fishes

Combinei um café com um amigo meu que já não via há algum tempo. Gosto particularmente dele, porque é daqueles que quando estamos juntos vêm sempre histórias porreiras à rede. Atrasei-me e quando cheguei ao ponto de encontro ele já lá estava. Dei-lhe um bacalhau e fomo-nos sentar numa esplanada à beira rio.

- Desculpa-me o atraso, mas o metro demorou um bocado e depois parecíamos sardinhas em lata – disse-lhe eu, enquanto recuperava o fôlego da corrida que tinha dado.
- Pois, estás todo vermelhinho desse grande sprint, até pareces uma lagosta
- Não te ponhas para aí a arrotar postas de pescada que também já te vi mais magro rapazote (estas trocas de mimos eram habituais entre nós).
- Sabes como é, desde que sou um tubarão do mundo empresarial, há menos tempo para o exercício e...(de repente olha para duas miúdas que vão a passar) para as mulheres bonitas...
- Lá estás tu a babar-te para as miúdas. Dás tanto nas vistas que só me admiro que não te chamem o polvo – repreendi, enquanto olhava também.
- Umas trutas destas e eu ia deixar passar não? A mais alta tem uma boca que só me faz pensar em linguados, mas agora que vejo, a mais baixa é um bocadito para o baleia...
- Fala baixo!! – disse-lhe eu

O pior foi que elas ouviram, e foi aí que começou a verdadeira peixaria, porque as senhoras tinham alguma coisa de varinas:

- Ouve lá – disse a “suposta” baleia – estás armado em carapau em corrida é?
- Quem? Eu?? – Começa o meu amigo a fazer-se de inocente, a ver se elas mordiam o anzol e eu a ver que aquilo ia dar raia...
- Sim tu! – estava visivelmente irritado o cetáceo – vê lá se queres ver a tua vida a andar para trás como o caranguejo...
- Não deves estar a falar comigo de certeza – os tiques snobes do meu amigo estavam a vir ao de cima – eu não me dou muito com arraia miúda.

Foi então que tudo estoirou. A “baleia” passou-se, a amiga não a conseguiu agarrar e o meu amigo levou uma solha, merecida diga-se. Quando elas se foram embora, diz-me ele ainda meio aparvalhado:

- Já viste aquela piranha? Já não se pode dizer nada...
- É assim, pela boca morre o peixe rapaz e no fim que se lixa é o mexilhão, porque eu que não fiz nada também ia apanhando, além de ficar com fama de javardo.
- Desculpa lá, acho que ainda estou meio desorientado com o jet lag. Só vim ontem de viagem, estou a sentir-me cansado...Acho que vou para casa bater um choco.
- Fazes bem e vê lá se para a próxima vez que nos encontrarmos isto é mais calmo...

Ele riu-se enquanto nos levantávamos e me dava um abraço de despedida. Ele sabia que não me podia prometer nada. É que neste tipo de coisas, os nossos encontros são como pescadinhas de rabo na boca. Há sempre alguma coisa que nos vai levar ao mesmo, mas eu gosto dele assim. É um tipo fixe.

27.1.06

Uma questão de números

Será que quem faz contabilidade criativa, quando vai a uma entrevista de emprego leva portfolio dos seus melhores trabalhos?

Do género: "Como pode ver por esses ficheiros Excel e este livro de contas, consegui durante 3 anos que uma empresa falida recebesse subsídios de apoio ao desenvolvimento sem que ninguém desse por isso..."

Ou ainda "Veja nestes gráficos que eu criei como é possível evadir-se ao Fisco e ter lucros consideráveis, usando uns ofshores nas Ilhas Caimão..."

24.1.06

Sopa da pedra

Segundo li, o recauchutado William Shatner, o mítico Captain Kirk da série de culto Star Trek vendeu uma pedra dos rins por 25 mil dólares para fins de caridade, mais propriamente ajudar a construir uma casa para os desfavorecidos.

Não criticando a ideia, que até compreendo pelo objectivo de caridade, apenas vos deixo algumas questões pertinentes:

"Quanto renderá o sinal do traseiro do Carlos Cruz? O suficiente para indemnizar todas as vítimas da Casa Pia?"
"Pré-rifar os orgãos de Mário Soares chegará para acabar com a pobreza em Portugal?"
"Vender a peruca do Fernando Gomes em leilão, porá termo às obras no Porto?"


Se sim, nem que seja preciso arrancá-los à força...


PS - O título do post é apenas uma sugestão caso o comprador da mesma não saiba o que fazer com ela.

19.1.06

Beleza fatal

Tânia sentia-se confiante, sabia que era atraente e hoje isso iria ser mais importante do que nunca. Tomou um banho de espuma relaxante, colocou os cremes que transformavam o seu corpo torneado numa capa de sedução natural e foi até ao quarto. Escolheu uma lingerie sexy, mas com classe e o vestido que deixou correr pelas suas costas abaixo torná-la-ia o centro das atenções onde quer que fosse. Penteou o cabelo de forma a ficar com aquele look naturalmente rebelde, que ela gostava tanto de disfarçar com uma expressão dócil e inocente. O momento estava a chegar, resolveu ir ver-se ao espelho.
Ao contemplar-se, Tânia apercebeu-se que possivelmente nunca iria ser tão bela e desejável como nesse preciso momento. Estava portanto na altura, foi até ao seu armário, pegou na caçadeira de canos serrados que tinha comprado e desfez a sua cara num só disparo. Obviamente morreu, tal como era suposto. Afinal, ela era linda de morrer.

Nem numa história imbecil como a anterior, a expressão “linda de morrer” faz sentido. Na vida real muito menos.
Sendo o português uma língua frutuosa em expressões idiotas, com esta eu embirro particularmente. Tirando na cabeça de poetas desfazados e os 3 gajos que ainda acreditam no amor platônico, a ideia de “linda de morrer” não faz sentido.
Se considerarmos alguém tão bonito, vamos estar dispostos a morrer por isso? Claro que não, a não ser que soframos de graves perturbações mentais e aí até um amendoim nos pode fazer querer morrer.
É porque se for alguém que consideramos lindo/a mas que é inalcançável, então porque é que queremos morrer? Certamente não deve ser para ficarmos mais perto dela, já que depois do Ghost foram proibidos tipos de contactos do além enquanto se faz porcelana, por motivos de saúde pública...
Se é alguém lindo ao nosso alcance, também não é mortos que vamos ficar mais perto...
Já se for de objectos lindos de morrer ou de algo figurado que falem, então é porque muito possivelmente são fúteis ou aventesmas. Nesse caso a vossa morte, se bem que pelos motivos errados é um bónus para o mundo.
Finalmente, se estiverem a falar de vocês próprios, aí sim, devem realmente morrer, não por causa da vossa beleza, mas sim porque ninguém gosta de gente com ego insuportável.

16.1.06

Tuning celestial

Tudo bem que o Darwin era muita macaco, mas o rapaz tinha razão, aqui a malta descende dos macacos. Mas, como não pretendo ofender o vasto lote de beatos que por aqui costuma passar, desenvolvi uma nova teoria sobre a evolução humana: o Tuning Celestial.
Esta teoria confirma que, tal como Darwin preconizava (preconizar, mas que belo verbo), o homem evoluiu a partir do macaco, mas eu defendo que Deus deu uma mãozinha...e possivelmente uma chave inglesa.
Defendo que o Senhor é adepto do tuning artesanal e à custa de muito trabalho foi artilhando os simples macaquitos com peças melhores e cérebros mais potentes até chegarmos ao que somos hoje. É certo que não havendo oficinas, nem sequer a MTV e o seu "Pimp my ride" a coisa levou o seu tempo e o processo foi vagaroso, mas o tuning é assim, exige dedicação e muita paciência.
Sendo ao mesmo tempo adepto de tuning e clássicos, Deus viu-se dividido e decidiu não evoluir todos os macacos através do tuning, deixando na terra muitos modelos antigos e o Tony Ramos, um projecto não acabado de estofos em pêlo.
É por isso que dentro de nós, haverá sempre um adepto do tuning, seja de carros, de roupa, de música ou de outra coisa qualquer, faz parte da nossa natureza. Pensem nisso da próxima vez que um labrêgo... eeerrhh... um irmão passe por vós num carro artilhado, pois ele é verdadeiramente um filho da...de Deus.

13.1.06

Dumbo Vieira

O nosso blog soube, em primeira mão, que o presidente do SLB Luís Filipe Vieira foi alvo de inúmeras sevícias aquando da sua última visita à Euro Disney em Paris, que ocorreu em Março do ano passado. Aquilo que seria um passeio descontraído e em família rapidamente se tornou em pesadelo para o líder do clube lisboeta. Conseguimos ainda apurar que o responsável do ocorrido foi o elefante voador Dumbo. O famigerado paquiderme, farto de estar preso e sujeito a uma dieta de amendoins, aproveitou o facto de se cruzar com um visitante com singularidades físicas iguais às suas para se escapulir do parque temático. Começou por lhe pagar umas cervejinhas aproveitando depois para nocautear o dirigente benfiquista com uma bela trombada na mona, saindo com as roupas do seu sósia sem que a família de Vieira atentasse algo de estranho. Foi o próprio Dumbo que esteve presente nos festejos da conquista do título nacional que escapava há onze anos às hostes encarnadas.

A confusão apenas foi desfeita pelo rato Timóteo que reparou que Dumbo já não era tão afoito a voar como dantes: "Epá, comecei por estranhar aquele bigode manhoso mas isso até nem me manifestei muito. Agora quando eu lhe dizia para voar é que estava o caldo entornado. O gajo começava a chorar e a perguntar por um gajo chamado Veiga, e tal..."

Image hosted by Photobucket.com

Ao fim de quase seis meses em cativeiro, Luís Filipe Vieira dá graças a Deus por o rato Timóteo ter sido tão perspicaz e por não ter mais de tocar o sino com a penca para ser alimentado. Dumbo, por sua vez, ganhou carinho à águia Vitória e espera ter ajudado o clube com as contratações de Miccoli, Karagounis, etc, não se arrependendo desta sua primeira experiência no dirigismo desportivo.
A Liga já prometeu instaurar-lhe um sumaríssimo.

Image hosted by Photobucket.com

Camilo, o Futebolista Brasileiro Naturalizado Português Através de Processos Dúbios

Image hosted by Photobucket.com

O famoso comediante/baluarte de um certo teatro de revista ultrapassado/utilizador de arrastadeira/actor Camilo de Oliveira anunciou que está a trabalhar numa nova série de televisão a estrear brevemente. Intitulada "Camilo, o Futebolista Brasileiro Naturalizado Português Através de Processos Dúbios", esta série retratará as incidências desportivas da vida de Camilo Gaúcho, um futebolista já entradote que vem espalhar perfume de samba para os relvad...perdão, pelados portugueses, assinando contrato com o Caricas FC da 4ª Divisão Distrital de Lisboa. Camilo de Oliveira está entusiasmadíssimo com este novo projecto que antecederá o também muito aguardado "Camilo na Morgue".

Petit, o novo marialva

Os irmãos Nuno, Gonçalo, Mico e outros quarenta e três Câmaras Pereira estão a aguardar que o Arquivo de Identificação delibere acerca da possibilidade de Petit, futebolista do Benfica, ser o novo membro da sua família. Segundo Nuno, o único dos irmãos capaz de se expressar em frases completas, Petit reúne as condições necessárias para reforçar o contingente familiar devido à sua enorme preparação física, aspecto de calhau e também por alguma curiosidade em vê-lo com um oleado vestido. Avizinha-se ainda para breve a tradicional contenda anual de impropérios e apalpadelas contra as irmãs Jardim, que venceram as últimas seis edições. Este ano o clã Câmara Pereira promete vingança e tem grandes esperanças na contratação de Petit, de modo a inverter a tendência derrotista dos últimos anos.

Nuno adiantou ainda que as novidades na família poderão não ficar por aqui, embora se tenha escusado a revelar mais nomes. De qualquer forma, sabemos de fonte mais ou menos fidedigna que Marco Borges, ex-residente do Big Brother célebre por dar porrada em gajas, foi visto numa rixa que os Câmaras Pereira tiveram com o Grupo de Forcados da Moita, tendo estado pujante na distribuição daqueles roundhouse kicks que o notabilizaram.
A bola está agora do lado das irmãs Jardim.

A fronha do Tó Pê

Depois da NASA ter considerado na passada semana o rosto do Professor Carmona Rodrigues como a réplica mais similar da superfície lunar, o nosso blog quis saber quais as condições que propiciaram essa ocorrência. Pois bem, há muitos anos atrás Carmona Rodrigues era apenas mais um jovem como muitos outros que tinha uma grande paixão pela prática do rugby. Praticou-o e ensinou-o aos mais novos durante muitos anos no CDUL, clube da sua predilecção, numa altura em que respondia apenas pelo nome de Tó Pê. Embora muitas pessoas pensem que aquelas crateras ideais para a alunagem que ele ostenta no trombil sejam causadas por um acne persistente que não o larga desda a puberdade, nós concluímos que afinal não é bem assim. O Tó Pê nunca teve acne. Quanto muito um ou outro herpes labial de tempos a tempos. A razão do estado lastimoso do rosto de Tó Pê deve-se ao facto de ele ser um altruísta por natureza. Aquando das partidas de rugby, sempre que era complicado apoiar a bola para a marcação dos pontapés de ensaio devido ao mau estado do terreno, era o entusiasta do Tó Pê que colocava o apoio nos dentes de forma a facilitar o pontapear da bola pelos colegas e adversários. Ora, é lógico que aquilo nem sempre corria bem e ele levou muitos, mas muitos, biqueiros no focinho. Abaixo podemos vislumbrar uma foto da época em que as marcas já eram visíveis no rosto do Tó Pê:

Image hosted by Photobucket.com

E aqui temos uma fotografia de um recente jogo de veteranos, em que o Prof. Carmona Rodrigues continua a demonstrar que não perdeu nem um pouco de altruísmo:

Image hosted by Photobucket.com

Foi mais uma grande investigação de fundo da nossa equipa.

O Koeman não gosta de mim...

Este só volta a jogar no Benfica se mudar de nome para Karyoka.

a titi fez um teté

Decidi hoje, nomeadamente porque sim, colocar uma nova música de fundo no blog. Enjoy!

11.1.06

Choque frontal

Há coisas que me chocam, particularmente a electricidade. No entanto, prefiro mil vezes uma descarga de alta voltagem a aturar certas pessoas que diarimente no local de trabalho se dedicam apenas a uma tarefa: infernizar-nos a vida.
Ao contrário do que muitos pensarão, não me refiro ao "patrão", não porque este mereça a santidade eterna, mas sim porque o seu estatuto pelo menos dá-lhe alguma autoridade para tal. Refiro-me aquelas pessoas que em qualquer local de trabalho a que se convencione chamar escritório/agência são responsáveis pelo material do dito cujo.
É gente ruim para a qual um lápis ou uma caneta a menos nas suas contas é equivalente a um sismo de grau 38, tal é o abalo que provoca um pedido para o mesmo.
Se me disserem que no vosso local de trabalho, se é que algum dos madraços que lê esta prosa trabalha, não existe tal personagem é porque devem ter sido uns anjinhos na última reincarnação.
O pedido de um bloco novo pode assemelhar-se ao round decisivo entre Rocky e Ivan Drago. Um agrafador avariado pode dar origem a maior tensão que a da Guerra Fria. Um pedido de uma cadeira nova, esse então pode ser alvo de uma tal reacção que provocará um arrependimento tão rápido que faria corar de inveja o Torquemada dos tempos aúreos da Inquisição.
Não há um padrão físico para o Monstro do Estacionário, tanto pode ser homem como mulher, mas há algumas dicas para o identificar. Tem por norma mais de 10 anos de casa, não gosta do que faz, tem um solene prazer em que lhe peçam as coisas, apenas para negá-las depois, tem também por norma um favorito, "O Eleito" como lhe chamam, para o qual nunca há entraves em termos de material. Digamos que esse sortudo/a é o dia de Natal e o resto dos desgraçados são o ano inteiro, ou seja, as boas acções ficam-se por esse dia.
Por isso, se és o responsável de material no teu local de trabalho, meu palhaço (ou palhaça) faz um exame de consciência, o material não é teu, ninguém está a tentar montar uma indústria paralela de material de estacionário, não tens que defender cada caneta como se se tratasse da tua própria vida e não te ponhas aos berros cada vez que alguém imprime alguma coisa em duplicado. Enterra os teus traumas debaixo da montanha de caixas de agrafos que guardas religiosamente no teu gabinete.

Se não conseguires, não te preocupes, continuaremos a dar graças todos os dias por não seres o responsável pelo Banco Mundial contra a Fome.


PS - Se porventura trabalhas no mesmo sítio que eu, caro responsável pelo material não te enfureças comigo. Prometo que para te compensar te digo quem gamou o tubo de cola que tinhas guardado para aquele momento especial.

9.1.06

Fugitivos (as)

Talvez decorrente do facto da maior parte dos autores de crimes violentos e dos criminosos que eventualmente escapam da prisão serem do sexo masculino (afinal serrar grades e cavar túneis não é coisa de gaja), não é estranho ouvir a expressão "Foi montada uma caça ao homem", na expectativa de apanhar os fugitivos.
Agora eu todos os dias acendo uma velinha para que uma mulher se escape da cadeia, só para ver a reacção dos meios de comunicação. Será o machismo puro, falando de uma caça ao homem, quando na realidade é de uma donzela (ou algo do mesmo sexo) que se trata ou ouviremos falar numa "Caça à mulher" coisa que nos tempos que correm só estamos habituados a ouvir falar em discotecas ou no já referido hi5.

Uma questão profunda, que certamente vos deixará a pensar, isto se souberem ler é claro.

4.1.06

Presidenciais chegam ao Hi5

Depois de um estudo efectuado pela Marktest ter revelado que o site hi5.com é o site mais visitado pelos utilizadores da Internet em Portugal, à frente de gigantes como o Google, o MSN, o Sapo e o site de poesia barroca italiana de Graça Moura, descobrimos que também os três principais candidatos presidenciais marcam presença nesse ponto de encontro virtual. E ao falar em três principais, peço desde já desculpa ao Garcia Pereira, que desde o 25 de Abril nunca faltou a uma eleição como candidato, merecendo uma menção honrosa pela assiduidade.

Mário Soares, é o que tem a maior rede de amigos (cerca de 500mil), no entanto pelo que conseguimos ver, cerca de 99% dos mesmos são jovens que pretendem obter o endereço do Messenger de Joana Amaral Dias, destacando-se também um carinhoso testemunho de uma tartaruga das Seychelles que afirma conhecê-lo de perto. Já Cavaco Silva é o que tem mais visitas ao seu perfil, apesar deste, tal como as suas opiniões, parecer algo vazio. Neste caso, o chamariz vem da sua galeria de imagens, onde pontificam mais de 20 fotos diferentes de bolos-rei e o respectivo contacto de pastelarias de fabrico próprio, factor que causou grande sucesso na quadra natalícia, levando até à ruptura de stock na Pastelaria Bolo Aqui não Queime, de Boliqueime, terra natal do candidato.
Finalmente, Manuel Alegre opta no seu perfil por publicar algumas das suas melhores poesias revolucionárias, algo que para além dum testemunho sentido de um Pacman visivelmente ganzado, parece ter atraído a atenção de 3 poetas eslovenos, 2 operários polacos e um tipografista peruano. Contudo, o deputado-poeta é muito forte na categoria de Grupos, destacando-se entre as suas inúmeras filiações, a Tertúlia Coimbrã de Xabregas, o Núcleo de Poetas Indutores de sono ou o Clube de Sósias do Pai Natal, onde foi eleito em 2005 como o Contador de Histórias do Ano.

Só agora??? E depois...

Queria desejar a todos os leitores aqui do pasquim cibernético, sim a todos os cinco, um Natal cheio de prendinhas com muito amor e amizade e uma entrada em 2006 com tudo de bom e nada de mau.

Tudo bem, já estamos a 4 de Janeiro, mas hoje é o meu último dia de férias, por isso só agora começo a acordar para a realidade. E como se costuma dizer, mais vale parvo do que nunca...