26.12.06

Vingança de Natal

Pois que já passou o Natal, essa bela época de confraternização, paz, alegria, prendas e, no meu caso, intoxicação alimentar de alguma espécie. Creio que quando falam em partilhar nesta época, não se referem à agonia e tormento porque passei, ao ponto de ter pesadelos com sonhos, por mais estranho que possa parecer.
Por isso, se esta "surpresa" foi praga que algum amiguinho ou amiguinha me deixou no sapatinho, pois que avance sem medo, que eu quero dar-lhe um abraço muito aconchegante. Se, por outro lado, a culpa do meu estado lastimoso se deve ao sentido de humor perverso de um gordo de barbas, vestido de vermelho (não Barbas, não és tu), então fixa estas palavras Nicolau: Hei-de enfiar-te o coelhinho da Páscoa num sítio que eu cá sei, com tal violência que as próximas cartas de criancinhas que vais ler terás que fazê-lo deitadinho de bruços.

Ah, o Natal, essa época de bons sentimentos. Ainda agora acabou e já tenho saudades...

3 comentários:

  1. Só te ficam bem esses sentimentos
    Creio que o Pai Natal já tinha verificado isso ao longo do ano

    Agora...só tenho pena do coelhinho

    ResponderEliminar
  2. Nota que o Natal é todos os anos e pode existir retaliações barbudas nos próximos anos

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.