4.9.06

Fiúza-mos!

Photobucket - Video and Image Hosting

Como adepto e sócio do Belenenses que sou e sempre serei, chegou o momento de me manifestar sobre o escândalo em que redundou o caso Mateus. Apesar de ter nome de marca de compota, Mateus é um indivíduo angolano de tez escura que foi inscrito pelo Gil Vicente como profissional para a época de 2005/06. Essa inscrição não poderia ter ocorrido, uma vez que o jogador já tinha sido inscrito na mesma época como amador pelo Lixa. Conscientes disto, os dirigentes do Gil Vicente liderados pelo mentecapto António Fiúza decidiram inscrevê-lo uma segunda vez na mesma época, desta feita como profissional, mesmo sabendo que um jogador não pode ser inscrito com estatutos diferentes na mesma temporada. Para conseguir este intento, recorreram aos tribunais civis, também sabendo que não o poderiam fazer, uma vez que os regulamentos da FPF e da Liga de Clubes, de acordo com o que é veiculado pela FIFA, proíbem-no expressamente. O meu clube, relegado desportivamente para a Liga de Honra, cedo se apercebeu que a colectividade barcelense é administrada por pessoas com graves incapacidades mentais e, mal o pretérico campeonato findou, tratou de recorrer para todas as instâncias desportivas de forma a substituir o Gil Vicente no escalão primodivisionário (sempre sonhei escrever primodivisionário num post). Depois de dois meses em que o caso Mateus aparecia todos os dias nas manchetes e nos noticiários, parece que o Belenenses finalmente conseguiu que lhe fosse dada razão, embora o Fiúza e os seus advogados queiram levar esta fantochada até ao fim, não obstante a ameaça que a FIFA fez de correr com Benfica, Sporting e Porto da Champions League e até de suspender a selecção nacional dos jogos de apuramento para o Euro 2008. Outro dia passei pelo Restelo para pagar a quotização relativamente a esta época. E depois pensei para mim: ao lado deste busto do Pepe, que bem ficava uma estátua do Fiúza, pá! Com efeito, depois de uma época em que Carlos Carvalhal e José Couceiro conseguiram honrar a tradição deixada por Cajuda e Stoycho Mladenov, remetendo o meu Belenenses para a Liga de Honra por via da classificação, só mesmo um milagre conseguiria manter o Belém na primeira. E esse milagre surgiu, por cortesia de um atrasado mental que logrou ser eleito presidente do Gil Vicente mas que não sabe falar português fluentemente, como aliás foi bem perceptível na recente entrevista dada na RTP em que até o seu próprio advogado não conseguia conter o riso. Fiúza merece, de facto, uma estátua no Restelo. Mas terá de ser uma estátua que consiga captar aqueles vivos olhos que se deslocam incessantemente da esquerda para a direita. Que consiga gravar em pedra aquele boca de onde emanam com fulgor ruídos onomatopaicos. Que consiga não desmerecer aquela careca luzidia onde os pombos, verdadeiros ratos voadores, poderão um dia fazer pontaria e largar os deus dejectos construindo assim um verdadeiro capachinho de merda. Como eu espero e desespero, e envergonho-me por vezes, por o meu clube não saber louvar e laurear todas as grandes figuras que o serviram. Onde está a estátua do Matateu, pergunto eu? E a do Vicente? A do Djão, do Cepeda e do Sambinha? São questões relevantes, claro. Mas porra, onde está a estátua do Fiúza, esse vulto que sozinho conseguiu recolocar o meu Belém nas transmissões da SPORTV? Porque não recebeu ele ainda nenhum galardão? Nem sequer foi ainda indigitado para sócio de mérito. Um homem que se destacou em tantas áreas, como por exemplo a medicina, merece mais, muito mais. Ainda recentemente todo um congresso na área da psiquiatria foi dedicado à sua pessoa. Antes de Fiúza tínhamos mongolóides, debilóides e vandalóides (Armando Bello será o mais perfeito exemplo deste último género, mas isso é outra conversa). Depois de Fiúza, temos o fiuzalóide, um indivíduo que congrega todas as características dos demais, com o acréscimo de ter graves problemas ao nível das glândulas salivares, de apenas papar Nestum Mel e de usar fraldas em idade adulta. Fiúza amigo, Belém está contigo!

6 comentários:

  1. lolololol
    Grande texto, sim senhor!
    E que grande palhaçada foi aquela "entrevista" («eu já respondo a isso, quero só dizer uma coisa», repetia Fiúza de olhos saltitantes) na RTP1, que sendo um canal público, achou que seria interessante e relevantíssimo para a população portuguesa ouvir a criatura gilista balbuciar disparates.

    ResponderEliminar
  2. Eu queria dar os meus parabéns ao autor deste texto.
    Da maneira que escreve, julgo que deve ser o sócio mais novo do Belenenses, pois se prova que a letra não treme - o que se deduz que não sofre de parkinson - e ainda pode ser considerado o único sócio que consegue comer realmente pasteis de belém sem o recurso à placa.

    Felizmente não necessitei de usar nenhuma palavra com a letra "f" porque me sentiria na obrigação de reescrever tudo com "ph" para que fosse perceptível para os restantes sócios do Belenenses.

    ResponderEliminar
  3. Neste blog, a maioria é belenense o que até seria normal se estivessemos a teclar do Lar de Idosos "Enterra o Vô Aqui" o que não é (ainda) verdade. Somos jovens belenenses com menos de 30 anos, mas divididos no coração pois é impossível não sentir um carinho especial pelo Fiúza, tal como não era possível resistir ao Corky no "Life goes on" ou ao Dustin Hoffman no "Rain Man".
    Se é merecido que fique o Belém na 1a? Claro que não, pois clube que contrate o Couceiro é punido com pena de descida de divisão.
    Se é justo? Claro que sim, o xico-espertismo, apesar de raça dominante às vezes lixa-se e neste caso, as regras por mais mal feitas que possam estar, se existem são para se cumprir, até que as mudem.

    Por isso, Força Belém e exilem-se os Fiúzas da nossa freguesia nas Berlengas. Mas deixem-lhes uma câmara e um micro por perto, para que não falte animação ao povo, DOIA A QUEM DOER.

    ResponderEliminar
  4. Olha o vilao. :)
    Beijinhos. Bom texto, como nos costumas habituar... :P

    ResponderEliminar
  5. Ganda texto ó meu!!! Isto é que é escreber!! Tu tens a certeza que tens mesmo menos de trinta? Tu tens mesmo a certeza pá??!! É que me custa a acreditar pá! Tu não lebes a mal! Mas é que custa a acreditar!

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.