25.11.05

Konami anuncia lançamento de Pro Evolution Soccer Tuga

A Konami está a ultimar o lançamento do jogo Pro Evolution Soccer Tuga. Será em tudo igual aos seus antecessores, com a diferença que desta feita todas as equipas terão uma temática específica dentro dos quadrantes da sociedade portuguesa. Por exemplo, podemos jogar um épico com a equipa Germanófilos Do Tempo Da Outra Senhora, capitaneada por Rolão Preto, contra os temíveis Homofóbicos De Quem Ninguém Tem Saudades, cuja maior estrela é Carlos Candal. Dentro da amálgama de outras grandes equipas podemos incluir 22 Gajos Que Tiveram Os Seus 15 Minutos De Fama E De Quem Ninguém Se Lembra, Esquadrão Laranja de Tendência Cavaquista, Gajas Boas Que Ninguém Enjeitaria, Políticos Com Halitose, Pedófilos Que Podem Não Ser Mesmo Pedófilos, Pedófilos Que Não Enganam Ninguém, Elenco Da Vila Faia, Todos Os Músicos Que Passaram Pelos Delfins, Filhos Bastardos De D. Afonso Henriques, Irmãs Jardim, Mulheres Enganadas Pelo Capitão Roby, Única Administração Hospitalar Honesta, Humoristas de Pacotilha, Empresários de Futebol, Trovadores Medievais, etc.
O jogo será lançado em directo na edição deste ano do Natal dos Hospitais.

RTP lança Pascoal

Devido à necessidade imperiosa de alcançar mais audiências, a RTP pretende inovar cada vez mais no âmbito da ficção. Para já, prepara-se para lançar a série “Pascoal, o Bacalhau Polícia” que fará frente aos rafeiros Rex e Max, da SIC e TVI, respectivamente. Segundo Nuno Santos, director de programas da estação pública, o casting está fechado e as filmagens já decorrem. A série será interrompida aquando do Natal para retirarem umas postas, a cara e a língua ao Pascoal, período após o qual o cirurgião Ibérico Nogueira procederá a uma difícil reconstituição do fiel amigo com vista ao retomar das gravações. Segundo Ricardo Carriço, que pediu anonimato, esta série tem tudo para vencer. Carriço interpretará Zé do Pipo, uma espécie de sidekick do Pascoal, e esteve dois meses em reclusão na Noruega para entrar na personagem. Referiu ainda que os espectadores podem esperar dele a mesma panóplia de emoções que mostrou em personagens clássicas como Rick Planeta na saudosa série "Claxon", Pedro em "Ninguém como Tu" ou ainda aquele gajo que aparecia sempre à hora das refeições em "Médico de Família". Portanto, e em rigor, pode-se esperar de Zé do Pipo diletantismo pueril, olhos inexpressivos de carneiro mal morto, berraria desenfreada e aquela pose de quem já entrou nos quarenta mas ainda tem força na verga.

23.11.05

Íntimo e Profundo

Gostaria de partilhar algo aqui entre nós, uma coisa que a maior parte de vós não deve saber: a Falha Challenger (ou Falha das Marianas) situada ao largo das Ilhas Marianas no Pacífico Sul é o local mais profundo do Oceano que se conhece, com perto de 11 kms de profundidade e digo isto de coração aberto, sem medo das consequências.

É esta a resposta a todos aqueles que insinuavam que neste blog reinava a piada baratucha, que não se aprendia nada e não haviam conteúdos íntimos e profundos.

20.11.05

Porque será...

Depois dos bons resultados obtidos ao longo dos anos nas Olímpiadas Especiais, das audiências dos Malucos do Riso e de boa parte do elenco dos Morangos com Açucar, Portugal volta a mostrar que há espaço para o desenvolvimento do cidadão com deficiência no nosso país.

Portugal vence Festival da Canção para cidadãos com deficiência

Um facto que se destaca, para além da vitória em si, por dois motivos: o 1º é que ficámos a saber que os intervenientes no outro Festival da Canção ao que parece afinal deverão ser considerados "pessoas normais" e o 2º é que existem mais pessoas em Portugal a compôr letras de música em festivais para além de Rosa Lobato Faria, já quando questionados sobre a autoria da letra, Rita e Márcio responderam:

"Rosa Lobato Faria???!! Claro que não, só o intérprete é que precisa de ser um cidadão com deficiência mental..."

17.11.05

Quanto mais batas...menos gosto de ti

Confesso que tenho um ódio de estimação à recorrente moda de tudo quanto é estabelecimento comercial ter no atendimento jovens com uma bata branca. Compreendo que é moderno, que dá um ar profissional, científico, médico, whatever, mas há limites para tudo digo eu...

E onde é que eu traço o meu limite? Farmácias? Sim, tudo bem. Centros de estética e afins? Depende, mas ainda vá que não vá...a partir daí, o número de circo começa.

Ele é no Celeiro, onde jovens (nacionais e de leste) me aconselham cientificamente sobre a influência dos microorganismos de uma empada de algas no meu estômago enquanto falam da cabra que trabalha na loja de perfumes ao lado, ele é em lojas ópticas onde um simpático rapaz de bata branca consegue enumerar 20 nomes de marcas de armações, mas se eu lhe perguntar pelas dioptrias, ele diz-me provavelmente que esse modelo só chega no início do ano.
Já nas lojas de cosmética qualquer moçoila que se preze, tem à perna uma simpática acólita de branco, mascando pastilha elástica de boca aberta e dissertando sobre a qualidade de um blush quando se vai para a discoteca ou numa loja de fotocópias um gajo diz-me que as cópias que se tiram naquela loja têm o selo de qualidade da NASA...

Enfim, um pretexto triste para se convencer o povo de que tudo é científico, tudo é medicinal e o melhor é que muitas vezes funciona...

Meditando sobre isto, despeço-me com um pensamento: Uma vez que o gajo do talho há muito que também usa uma bata branca, porque raio nunca me veio falar ele das propriedades medicinais das costeletas que retalha suavemente com o seu facalhão, ficando-se por um "Estas são daqui" enquanto passa os dedos ensanguentados pela sua própria orelha...

11.11.05

Tendências

Dizem que tenho tendência para abusar do trocadilho....






































Não sei porquê, mas isso parece-me uma questão de fundo...

Um saber de experiência feita

Pelo que ouvi, o vetusto Soares diz que é o candidato mais habilitado, caso seja eleito presidente, para evitar que em Portugal se repita a situação "quente" e os incêndios da últimas semanas em França.

Duvidando de muita coisa nesta candidatura de Mário Soares, esta é daquelas coisas em que acredito plenamente no que ele diz. É que é impossível negar que, em todo o panorama político português, será difícil encontrar alguém com mais experiência do que Soares no que toca a passar pelas brasas...

9.11.05

Negocios da China

"Portugal e a China vão assinar um protocolo de cooperação na área hospitalar, disse hoje em Pequim o ministro da Saúde português, Correia de Campos, no final de uma visita à China."

in Diário Digital


Ou seja, as cantinas hospitalares portuguesas passarão a servir nas suas refeições o tradicional menu de crepe, aloz chao chao, plato do dia e soblemesa, haverá uma pequena "loja dos chineses" em cada hospital nacional, quer para os pacientes em espera nas urgências, quer nas visitas e ao pagar a conta hospitalar, consoante a despesa, ganhará um calendário chinês, um serviço de chá ou até mesmo a famigerada agualdente de aloz.

Em contrapartida, Portugal enviará camisolas de Figo e Cristiano Ronaldo para as crianças chinesas nos hospitais (desde que estas trabalhem nas instituição), Cd's de Toy e Ágata para acabar de vez com a miséria de determinados pacientes terminais e ocasionalmente um ou outro político, para estudos de neurologia em espécies primitivas.

8.11.05

A contra-piada

Serve este post para consolo de todos aqueles que numa base diária ou perto disso são obrigados a lidar com humoristas de pacotilha. Estes artistas, maioritariamente homens, não resistem a fazer piadas, muitas vezes de má qualidade, mal surge a oportunidade, seja em que situação fôr.

Os humoristas de pacotilha têm uma rivalidade ancestral com os humoristas inatos, assim ao estilo dos Syth e dos Jedi (para os menos aficionados, uma piada Star Wars), essencialmente porque os humoristas inatos possuem uma arma a que eles sempre aspiraram, sem nunca conseguirem dominar: o poder da contra-piada.

A arte da contra-piada pode ser ensinada a qualquer um, mas quem é humorista de pacotilha não percebe a sua essência e falhará ao utilizá-la, tornando-a mais uma piada foleira. Daí o seu ódio visceral por quem a ensina...

Mas o que é afinal a contra-piada? Trata-se do método neutralizador para uma piada foleira (a arma comum do humorista de pacotilha), normalmente na forma de uma resposta incisiva ou reutilização da piada foleira contra o seu autor de maneira acutilante. Há quem seja naturalmente dotado na matéria, há quem aprenda a usar a contra piada e há quem nunca consiga usá-la, constituindo este grupo o alvo preferencial do humorista de pacotilha.

Para uma melhor percepção do assunto, fica no entanto um exemplo de um combate de humorista foleiro vs aprendiz de contra piada, com desfecho favorável para o segundo...

Humorista Foleiro - Então, que se passa?
Aprendiz (tímido)- Pediram-me para ver este trabalho contigo...
HF (sorriso alarve 1)- É um bocado abichanado, não?
A (sorriso amarelo)- Sim, mas é o que me pediram, uma coisa poética...
HF (sorriso alarve 2)- Ah, então é isso, por ser abichanado é que to deram a ti
A (sorriso aberto) - Não, mas deve ter sido por isso que me pediram para falar contigo...
HF - Riso forçado...

4.11.05

Voltei, Voltei

Fazendo uso deste êxito de Dino Meira, aqui assinalo o meu regresso às lides, embora com muito menos espectacularidade do que se o referido artista a dizê-lo, já que para todos os efeitos, está morto.

Sei que provavelmente estou a falar sozinho mas, tal como muitos dos meus amigos de férias num conhecido resort da Avenida do Brasil, é algo a que estou habituado e não me incomoda nada.

Serve o presente para dizer que no futuro poderei optar por uma de duas soluções: arranjo mais alguém com força na pena para se juntar a este trio de dois onde praticamente só escreve um, continuo a espalhar classe por estas bandas com a mesma intensidade que o Prestige ou começo a mendigar blog a blog por um espaço de acolhimento com menos mofo do que este.

Entretanto, vou tentar vir cá com a mesma regularidade com que Mário Soares dará paulada no Cavaco até ao dia das eleições.