24.2.05

Sindicato dos Humoristas preocupado com o futuro

Depois de três anos de abundância, em termos de matéria prima, o Sindicato dos profissionais portugueses na área do humor revela-se preocupado. Segundo um dos membros da direcção, o palhaço Batatinha, o cenário revela-se algo nebuloso e avistam-se já algumas inquietações:

"Quer dizer, nós com o Portas e o Santana estávamos descansados. Por mais que o país se afundasse, nunca havia de faltar motivo para galhofa e humor a rodos. Mas, com a presumível saída de cena destes personagens, a coisa está ficar preta e até quem já pense em começar uma petição para que lhes seja entregue algum cargo público, para a malta sempre ir metendo umas buchas"

Então e José Sócrates? Batatinha avança:

"Bem, sabe como é, nós ficamos sempre felizes quando um de nós ganha algum protagonismo e tenho de admitir que a história do choque tecnológico e dos 150 mil empregos tem sem dúvida um trabalho de humorista por trás. Espero que não considerem esta minha última expressão uma insinuação maldosa, coisa que não é minha intenção.
No entanto, não podemos descansar em relação ao futuro da classe lá porque há alguém que já se safou. Tudo bem que o possível regresso de alguns tipos do tempo do Guterres é uma base negocial para nós, mas exigimos mais medidas concretas, para podermos assegurar o futuro do humor e da sátira social em Portugal".

21.2.05

21 de Fevereiro - O Dia depois de Hoje


- Um penteado decente pode ser um trunfo importante.

- Os portugueses demonstram uma maior abertura, preterindo Cinha Jardim em prol de Diogo Infante.

- Está tudo ansioso por ver Betty Grafstein na pasta da Joalharia.

- Está tudo ansioso por ver Mário Soares na pasta do Dominó.

- Marques Mendes será o próximo líder do PSD (às cavalitas de Manuela Ferreira Leite).

- Acabou-se o poleiro para Narana. Sabemos de fonte segura que pondera voltar ao negócio da floricultura.

- Luís Delgado suspirou de alívio, pois prefere defender Santana na oposição do que Santana no governo (às vezes é complicado manter um emprego).

- Santana tem assim mais tempo para adicionar as amigas dos filhos aos seus contactos do hi5.

- Paulo Portas conheceu finalmente o verdadeiro significado do "choque tecnológico" quando deu um murro no teclado e levou com a tecla de space na penca.

- Miguel Portas fumou peyote, cachimbou e dançou pela noite fora.

- Deus Pinheiro concluiu que fez bem em dedicar-se ao golf e à aquisição de jeans encarnadas para as suas aparições em festas.

- Jorge Sampaio e Maria José Ritta fizeram amor sem intuito de procriar pela quarta vez desde que contraíram matrimónio.

- João Soares olhou para o retrato do pai e ponderou que afinal só herdou mesmo as bochechas.

- Alexandre Frota convidou Morais Sarmento para um combate de Vale-Tudo, em local a designar.

- Luís Nobre Guedes espancou toda a gente que encontrou no caminho dos estúdios da TVI até casa.

- Jerónimo de Sousa leu "O Capital" pela centésima trigésima nona vez. Há sempre algo que nos escapa.

- Odete Santos tirou a máscara e disse: "Eu é que sou o Álvaro Cunhal!"

- Manuel Monteiro tentou convencer Dina a renunciar ao lesbianismo, enquanto reflectia sobre o futuro da Nova Democracia.

- João Vale e Azevedo anunciou a intenção de se candidatar à presidência do PPD-PSD.

16.2.05

Sabotagem no debate

Depois do seu "afastamento" do debate de ontem o secretário geral do PCP, Jerónimo de Sousa, já avisou que vai avançar com um processo crime contra a Sony. O candidato foi surpreendido no debate televisivo com os líderes dos principais partidos, por uma inesperada afonia e graves dificuldades ao nível de audio, que o levaram inclusive a abandonar o debate ao intervalo, sem ter podido explorar qualquer um dos temas abordados.
Segundo Jerónimo de Sousa nos adiantou por email, ainda esperando pelo regresso aos normais níveis de som, o processo contra a marca japonesa justifica-se pelo seguinte:

"Já que em termos de mensagem não é possível renovar muito, investimos imenso na renovação dos materiais audio, em especial na encomenda de cassetes de maior duração para um discurso mais eficiente junto das massas. Parece-me que um problema claro do patronato da marca japonesas na busca incessante pelo aumento do lucro do capitalismo selvagem, terá incluído material defeituoso no lote que encomendámos, o que veio a resultar em graves e prejudiciais falhas ao nível audio na cassete que pretendia usar durante o debate. Como tal, deveremos ser recompensados pelas falhas, através da instalação de diversas fábricas da Sony em território nacional."

Ao que parece, os representantes da Sony em Portugal não se mostram preocupados com o processo do líder comunista. Segundo eles, os comunistas não terão negociado junto dos consórcios oficiais, preferindo fazer campanha junto dos emigrantes da zona da Mouraria e comprando aí o lote das referidas cassetes e materiais. Fonte que se preferiu manter anónima terá indicado ainda: "Não sei do que o gajo se queixa. Dos cinco que lá foram, foi sem dúvida o que teve o discurso mais honesto."

15.2.05

Injustezas

Depois da vitória da Académica frente ao Nacional da Madeira, o treinador Nelo Vingada destacou «a justeza do resultado». De facto, só ganharam por 1-0.

14.2.05

A coluna nao tem preço

De há uns tempos para cá, ando com dores na coluna. Como tinha deixado de comprar o Expresso, ao início não percebi porquê, mas comecei a pensar bem nas coisas e ao fim de um certo tempo tudo começou a bater certo:

Por norma, de segunda a sexta, ao sair de casa e ainda não tendo chegadoi aos transportes, já estou a levar com o folheto do Professor Bimbo e do curso de Informática logo no topo das escadas do Metro, mais um jornal Destak que uma simpática velhota de ar etilizado me dá, assim como o jornal Metro (uma campanha de publicidade tão miserável como eles têm também não devia ter tido preço...) que recebo antes de entrar para a carruagem, já temos um volume considerável. Depois, ao sair do Metro, por boa samaritanice lá levo com outro jornal Metro e mais um Destak e o folheto do Tandoori Grill que um simpático discípulo do Shyamalan me entrega. Ainda não me afastei das escadas do Metro no Chiado e ainda estou a levar com mais uma mensagem de António Santos, que está completamente inocente mas foi condenado a uma pena de 25 anos de cadeia, sendo apenas vítima da sociedade.

Ando mais três passos e ao passar pela perfumaria levo com uma amostra de Casal Boss, o novo perfume de Hugo Boss, mais um voucher para um desconto no McDonalds de Odivelas, válido das 21,12 às 21.16 de 0,5% de desconto na compra de 5 Big Macs, por pessoas que estejam vestidas de verde eléctrico, com uma pala no olho. Mas a odisseia não pára por aqui. Como tenho tempo, ainda passo pelo banco e por cada pergunta que faço na caixa, levo com um folheto explicativo. Já com dificuldade em arranjar espaço para tanto papel prossigo em direcção ao local de trabalho. Desta vez sou abordado por umas senhoras de ar bondoso e sotaque sibilante que insistem em que eu seja testemunha de um tal de Jeová, indivíduo pelo qual nutro o maior respeito, mas que em virtude de não o conhecer pessoalmente nunca poderei falar em seu favor. Antes de esmurrar delicadamente uma dessas cidadãs ainda levo com mais duas folhitas sobre a palavra do Senhor.

Já curvado perante o papel acumulado, chego à porta da minha estimada agência, onde a rapariga da recepção me dá uma revista que nunca subscrevi, mas que insiste em vir até às minhas mãos. Já sem mãos para tanta coisa, peço-lhe um saquito de plástico, que ela me dá, dizendo que veio com o Expresso do fim de semana.

Só depois de fazer este raciocínio e ver que a coisa é cíclica é que me apercebi: "Oh não, a maldição do Expresso voltou a atacar"...e um arrepio percorre-me pela minha massacrada coluna...

1.2.05

Sabedoria do Dia a Dia

Creio ter intimidado o Bonzinho e o Vilãozinha com a minha entrada de rompante, mas também se queriam entradas de fininho pelas traseiras tivessem falado com o Castelo Branco. Mas adiante, porque as palavras que se seguem, embora não sejam novidade, são plenas de sabedoria...

Caso não saibam, valorizo cada viagem na Carris e Metro como se fosse a última, já que se aprendem nos apinhados autocarros e carruagens, algumas pérolas de sabedoria que duram a vida inteira.
Numa das minhas jornadas num desses autocarros, tive a oportunidade de testemunhar um interessante diálogo entre mãe e filho, de família. Diz o petiz, de cerca de 10 anos, para a mãe:

- Mãe, sabias que as mulheres são como as batatas?
- Então??
- Ou se comem descascadas ou a murro. Eh, eh!

A senhora achou muita piada à graçola e riu-se bem alto, enquanto acrescentava:
- Ai filho, não sei onde vais buscar essas ideias…

Sentado de frente para eles e observando que à senhora lhe faltavam uma boa parte dos dentes da frente, eu até arriscava um palpite…