15.12.05

Eleições bombásticas no Iraque

Nas eleições que decorreram esta semana no Iraque, após o encerramento das urnas, a aderência verificada foi de cerca de 67%, segundo dados disponibilizados pelas autoridades locais.
Uma notícia que entristeceu em grande escala, as várias facções terroristas iraquianas que depois do seu esforço dos últimos meses. "É triste ver que apesar de obra feita, os resultados ficam muito aquém do esperado" confidenciou Shidrit Al Cavilha, líder do Partido Terrorista.
"Depois de vários meses sempre a bombar, ficar a saber que 33% das urnas disponíveis no meu país estão ainda por preencher é no mínimo desolador. Mas, no meu íntimo, continuo a pensar que os números divulgados pelo Governo estão longe da verdade. Mas também, nós não temos a máquina de propaganda dos Judeus na 2ª Guerra Mundial..." - avançou este responsável, enquanto afiava a sua faca na testa de um técnico de contas albanês apanhado esta semana no Iraque, numa clara alusão às afirmações do presidente iraniano, que disse a semana passada que essa história do Holocausto se calhar foi inventada e que o que aconteceu foi que infelizmente alguns milhões de judeus, enquanto visitavam umas fábricas na Polónia foram vítimas de uma fuga de gás e enquanto tentavam fugir cairam na fornalha das mesmas...

1 comentário:

  1. Há aqui uma falácia informativa no seu texto. Os últimos dados avançados pela Comissão de Eleições Iraquianas, indicavam inicialmente uma projecção de 67% de afluência às urnas. Mas baixaram logo para 55% e novamente para 45%. Parece que há medida que vão explodindo as filas de espera com carros armadilhados que os números sofrem ligeiras alterações. Mas é habitual. Nada de grave.

    ResponderEliminar

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.