9.12.05

Amigo Secreto, Desgraça Publica

Aproveito a onda natalícia para falar desse flagelo da época que é o muito divertido jogo entre colegas de trabalho chamado "Amigo Secreto", onde através de um sorteio de papelinhos durante 2 ou 3 semanas teoricamente temos de bajular uma aventesma que também trabalha no mesmo sítio. Tudo bem, pode ter-se sorte e sair aquela secretária boazona que de profundo só tem os decotes ou (para não ofender o público feminino) o tipo dos Recursos Humanos, que tem um físico e um intelecto cuidados, não arrota na presença de senhoras e abre a porta do carro para elas entrarem (um personagem ficcional portanto), mas na maioria dos casos ou não se liga pevas ao desgraçado/a que nos coube em sorte ou lá se compram uns rebuçados do Dr.Bayard e se oferece no fim uma agenda para o ano que vem.
Seria bem mais proveitoso e menos hipócrita criar o "Inimigo Secreto", onde cada funcionário escolheria um colega/patrão que lhe causasse particular repulsa e durante essas duas semanas, anonimamente lhe chamaria tudo quanto não tem coragem para dizer na cara e outras condutas impróprias. A vantagem seria que no final do período não se tinha de identificar, mantendo o anonimato e poupando aqueles 5 minutos de conversa de chacha na altura da revelação havendo, no entanto, para os mais corajosos a opção de um frente a frente, em que em vez da troca de prendas haveria uma troca de murros e insultos, que certamente animaria muita festa de Natal moribunda.
A desvantagem é que haveria certamente gente beneficiada no número de Inimigos Secretos, mas também se o mundo fosse perfeito, este passatempo não faria sentido...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.