29.6.05

Circus, Circus

Sei que não é de agora, mas só agora tomei consciência de que existem ainda umas quantas estações de Metro que têm plantados no seu interior vendedores de pipocas. Tudo bem, para muitos, o Metro é um verdadeiro circo, mas isto pareceu-me um conceito algo exagerado.
Mas então pensei melhor e, verifiquei que há de facto um vasto potencial circense no Metro:

- domadores de cavalos (ou pelo menos do seu cheiro)
- mágicos que fazem desaparecer carteiras e respectivas partenaires (ou pelo menos senhoras que se veste como se o fossem…)
- hipnotizadores que com o seu olhar fixante tentam hipnotizar decotes alheios,
- equilibristas que com os olhos fechados, mantêm o equilíbrio em pé nas suas viagens matinais e resistem aos mais pujantes encontrões
- contorcionistas que conseguem enfiar os seus dedos em locais inimagináveis do seu próprio corpo
- atiradores de facas (que por meio de um corta unhas, atiram destemidamente perigosos projécteis)
- animais selvagens e exóticos (incrivelmente alguns são muito parecidos, em termos de comportamento, com seres humanos, nem que seja por breves segundos)
- palhaços com fartura
- crianças excitadas (e, por vezes, adultos excitados…)
- potenciais engolidores de fogo (portanto actuais engolidores de álcool)
- Ocasionalmente, mulheres barbudas

Sem me esforçar muito, juntei aqui um lote que faria inveja a qualquer Cardinali da nossa praça, pelo que compreendi de imediato o propósito das pipocas: se vais levar com eles, pelo menos aprecia o espectáculo de barriga cheia.

Mal posso esperar pelo final da tarde para mais uma sessão…

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.