30.3.04

Galeria de Notáveis: José Manuel Durão Barroso



A vida nem sempre foi um mar de rosas para o primeiro transsexual português. Nascido em 1956, ainda como Brenda Maria Durão Barroso, cedo lutou por se afirmar num Portugal bastante preconceituoso e intolerante para com essa freakalhada. Brenda sempre gostou de vestir roupa de homem e de colocar volumes na zona adjacente às virilhas. Na escola jogava à bola com os rapazes e equipava-se no balneário masculino, para gáudio de muitos tarados apreciadores do bizarro. No entanto, Brenda sempre se sentiu atraída por raparigas. Coleccionou namoradas, que se rendiam à sua personalidade assertiva, não obstante sentirem alguma tristeza face à impossibilidade de consumação do acto por vias naturais. Brenda sempre foi uma moça muito politizada, e todos se lembram com saudade das suas prelecções na sede do MRPP sobre os filmes de Pasolini. Aos 24 anos, e depois de muito porfiar para garantir verba para proceder à operação, Brenda dirige-se para o Belize, onde procede à mudança de sexo, segundo alguns aproveitando a pila ainda atrevidota de Sá Carneiro, que havia falecido recentemente. Depois foi o que se viu: deteve uma presença brilhante na pasta dos Negócios Estrangeiros, durante a égide do seu antigo namorado Aníbal Silva, lidando com assuntos delicados como a guerra civil em Angola com a mesma destreza como a que havia evidenciado em tempos áureos na colocação de preservativos por via oral. Mais tarde, seguiu-se a presidência do PSD, em que sucedeu a Marcelo Rebelo de Sousa num momento em que este não prestava atenção. A cereja em cima do bolo deu-se com a nomeação para o cargo de Primeiro Ministro. Hoje em dia, todos os portugueses olham para Brenda com carinho e sentem-se orgulhosos, sabendo que, embora não havendo sobrancelhas, há pelo menos mão firme em São Bento.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se vais dizer alguma coisa, escreve, não fiques para aí a olhar.